Ponta Delgada: Misericórdia pede inquérito externo a alegados maus-tratos

Santa Casa anunciou que encomendou um inquérito externo para investigar alegados maus-tratos na instituição, garantindo não ter conhecimento das situações denunciadas numa reportagem da TVI

"A mesa da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, e partindo de tais acusações até agora estranhas para nós, deliberou, por unanimidade, proceder a um inquérito externo já em andamento, com vista a não só descer ao concreto no que toca a cada uma daquelas acusações, quase todas elas abstratas, como também distinguir do que possa ser arma de arremesso contra o Governo Regional", adiantou, o provedor, José Francisco Silva, em comunicado de imprensa.

A reação surge depois de a TVI ter emitido, na quarta e na quinta-feira, uma reportagem sobre alegados maus-tratos a idosos nas Santas Casas da Misericórdia de Ponta Delgada e Angra do Heroísmo.

"A Santa Casa não pode ficar indiferente a acusações tão torpes e graves, bem sabendo nós que em todas as instituições públicas ou privadas há sempre falhas a corrigir", salientou o provedor.

José Francisco Silva disse estranhar que os médicos que denunciaram o caso "nada tenham visto e reportado" à mesa da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, quando prestavam assistência àquela instituição, e acusou o antigo delegado de saúde de pretender um "ajuste de contas" com o Governo Regional, por ter sido "exonerado do cargo".

"A Santa Casa da Misericórdia não pode servir como arma de arremesso para ajustes de contas com o Governo Regional por parte de quem eventualmente se sente molestado por ele", frisou.

O provedor sublinhou que a Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada até agora não sofreu qualquer "condenação criminal" e acusou a TVI de "diabolizar" a instituição e de ser "manifestamente tendenciosa".

A instituição admite mesmo "instaurar um processo-crime contra a TVI" e pedir uma indemnização "pelos graves danos de imagem e financeiros já sofridos".

O comunicado do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada foi divulgado logo depois de o Governo Regional dos Açores ter anunciado também a abertura de um inquérito.

"Face à gravidade e ao teor das denúncias reportadas recentemente, que constituem dados novos, o Governo dos Açores irá solicitar a intervenção do Ministério Público, assim como determinar a abertura do devido inquérito no sentido do apuramento cabal de todos os factos", adiantou o executivo açoriano, num comunicado conjunto das secretarias regionais da Saúde e Solidariedade Social.

Segundo o Governo Regional, o Delegado de Saúde de Ponta Delgada chegou a determinar o encerramento da unidade de cuidados continuados da Santa Casa da Misericórdia, a 19 de outubro de 2016, mas acabou por revogar esse despacho a 24 de outubro de 2016, por ter reconhecido o "esforço da instituição" em cumprir, a partir daquele momento, as "medidas de salubridade, higiene e segurança preconizadas".

A Comissão de Assuntos Sociais da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores vai ouvir, na segunda-feira, 30 de julho, por proposta do grupo parlamentar do PS, a coordenadora da Rede Regional dos Cuidados Integrados, os provedores da Santa Casa de Ponta Delgada e Angra do Heroísmo e os secretários regionais da Saúde e da Solidariedade Social.

Entretanto, o grupo parlamentar do PSD na Assembleia Legislativa dos Açores anunciou a criação de uma comissão de inquérito, com caráter potestativo, para investigar os alegados casos de maus tratos a idosos.

A bancada do CDS já tinha requerido ao Governo, com caráter de urgência, uma cópia de um relatório avaliativo da Rede Regional de Cuidados Integrados dos Açores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG