Militar da GNR agredido por 20 pessoas no bairro da Pasteleira

Um militar da GNR de Braga foi agredido na terça-feira no Bairro da Pasteleira Nova, no Porto, e teve necessidade de assistência hospitalar, mas já teve alta. Dois homens foram detidos mas já saíram em liberdade.

A vítima é um militar do Núcleo de Investigação Criminal de Braga, estava a proceder a uma diligência no âmbito de um inquérito, juntamente com outro elemento da mesma força, disse esta quinta-feira fonte da GNR.

"Juntaram-se cerca de 20 indivíduos e o militar foi agredido", acrescentou a fonte. Sofreu ferimentos na face e teve de ser transportado para um hospital do Porto, onde recebeu tratamento.

De acordo com declarações de César Nogueira, presidente da Associação Profissional da Guarda, o guarda conseguiu libertar o colega das agressões ao puxar da arma. Perante isso, o grupo de agressores dispersou e os guardas chegaram até ao carro para sair do bairro. Os dois elementos da força policial não estavam fardados nesta diligência efetuada num bairro do Porto conhecido pelos problemas com o tráfico de droga.

O dirigente sindical César Nogueira diz que "todos os dias há agressões a elementos da autoridade, nomeadamente a guardas". Isso deve-se, considera, ao "sentimento de impunidade que se sente por parte de quem transgride. Sentem-se à vontade para poder agredir ou insultar porque sabem que quase nada lhes vai ser aplicado", acrescentou.

Já foram detidos dois suspeitos, mas a fonte considera que, no decurso do inquérito, poderão ser identificados mais agressores.

Os dois detidos foram presentes a tribunal, tendo ficado sujeitos à medida de coação de apresentações diárias em posto policial.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG