Médicos querem explicação do Governo sobre "situação vergonhosa" das ambulâncias

O INEM previa comprar este ano 75 novas ambulâncias para equipar os postos de emergência médica, mas o Ministério das Finanças não autorizou o uso do dinheiro necessário para a aquisição, apesar de a verba ser do próprio instituto.

A Ordem dos Médicos (OM) vai pedir explicações formais ao governo sobre a compra de ambulâncias do INEM, considerando que "continuam as cativações na saúde" e que se trata de uma "situação vergonhosa".

Em declarações à Lusa, o bastonário da OM manifestou preocupação com a situação do INEM e acusou o Executivo de "dar o dito por não dito".

"A renovação das ambulâncias tinha começado a ser feita com o anterior ministro da Saúde e havia um plano para renovar a frota até 2021. É por isso incompreensível esta desonestidade do Governo de dar o dito por não dito, ainda mais quando a verba para a compra das 75 ambulâncias previstas para 2019 pertencia ao próprio INEM", disse Miguel Guimarães.

A reação da OM surge depois de a agência Lusa ter noticiado que o INEM previa comprar este ano 75 novas ambulâncias para equipar os postos de emergência médica, mas o Ministério das Finanças não autorizou o uso do dinheiro necessário, apesar de a verba ser do próprio instituto.

Bastonário da Ordem dos médicos fala em "vergonha nacional"

Para o bastonário dos Médicos, "esta situação acentua a desconfiança dos cidadãos em relação ao poder político e aos serviços de saúde", tratando-se ainda de uma "vergonha nacional".

A OM entende que "o adiamento da compra [das ambulâncias] coloca em causa a qualidade do socorro" e "gera frustrações junto dos profissionais".

O ofício enviado pela OM aos Ministérios da Saúde e das Finanças foi também remetido, a título de conhecimento, ao Presidente da República, acrescentou à Lusa o bastonário, justificando que se trata de uma "área vital que importa e afeta todos os portugueses".

Entretanto, os Ministérios da Saúde e das Finanças já indicaram que estão a ponderar as decisões de investimento do INEM quanto à compra de novas ambulâncias.

Exclusivos

Premium

Contramão na autoestrada

Concessionárias querem mais formação para condutores idosos

Os episódios de condução em sentido contrário nas autoestradas são uma realidade recorrente e preocupante. A maioria envolve pessoas idosas. O tema é sensível. Soluções mais radicais, como uma idade para deixar de conduzir, avaliação médica em centros específicos, não são consensuais. As concessionárias das autoestradas defendem "mais formação" para os condutores acima dos 70 anos.