Majestic e Guarany. Cafés históricos do Porto fecham portas por causa da pandemia

Os dois cafés históricos da Baixa não conseguem fazer face aos prejuízos e não têm data para reabrir. Trabalhadores estão em lay-off.

O Majestic e o Guarany, históricos cafés da cidade do Porto, fecharam as portas por causa da pandemia de covid-19 e não têm data para a reabertura. A falta de clientes tem sido incomportável, tendo em conta os prejuízos que daí advêm.

O primeiro a fechar foi o Guarany, na Avenida dos Aliados, no dia 15 de novembro, enquanto o Majestic, na Rua Santa Catarina, encerrou esta segunda-feira (30), a poucos dias de festejar 100 anos, no próximo dia 17 de dezembro.

O gerente Fernando Barria recordou, em declarações à RTP, que "nem durante a Segunda Guerra Mundial houve a necessidade de fechar", embora nessa altura para ter a porta aberta os dois cafés tivessem de "pagar uma taxa de guerra". Este encerramento provisório contempla que os seus 40 funcionários fiquem em lay-off até que "estejam reunidas condições para reabrir".

Os dois cafés históricos tiveram de adaptar-se às restrições determinadas pela pandemia, mas tal nem teria sido preciso, uma vez que a ausência de turistas na cidade do Porto e mesmo de clientes residentes deixou os dois espaços às moscas.

"Antes tínhamos clientes a fazer fila para entrar, mas com a redução nunca houve falta de mesa para as pessoas nos visitarem. Afinal, trabalhámos no mínimo dos mínimos", acrescentou Fernando Barria, que está esperançado que a vacina resolva este problema: "Temos de confiar no futuro. Da mesma forma que o vírus apareceu, irá desaparecer."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG