Suspeitas de corrupção. Mais um autarca do PSD alvo de buscas da PJ

A Câmara Municipal de Faro foi alvo de buscas da Judiciária esta terça-feira, por suspeitas que recaem sobre o vice-presidente Paulo Santos, constituído arguido

A Polícia Judiciária (PJ) fez buscas na câmara de Faro esta terça-feira, no âmbito de uma investigação que visa o vice-presidente da autarquia, Paulo Santos, liderada por Rogério Bacalhau, do PSD.

Fonte oficial da PJ confirmou ao DN que Paulo Santos foi constituído arguido, juntamente com outras três pessoas. Em causa estão suspeita da prática de crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, abuso de poder e participação económica em negócio.

O processo estará relacionado com contratos entre a autarquia e a "AMBIFARO", uma empresa da ex-mulher de Paulo Santos. Em junho passado o executivo camarário aprovou uma proposta para transferir para a Ambifaro os contratos dos parquímetros do concelho, cujas receitas ascendem aos nove milhões de euros.

Além da autarquia, estão também a ser alvo de buscas a própria AMBIFARO e o escritório de um advogado.

Em 2018, a autarquia fez parte das dezenas de buscas realizadas pela PJ no âmbito da operação "Tutti Frutti", que investiga financiamento ilegal partidário.

No início de junho, na operação Rota Final, foram alvo de buscas várias autarquias, entre as quais a da Guarda, por suspeitas de corrupção durante o mandato de novo eurodeputado social-democrata, Álvaro Amaro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG