Legionela detetada em maio foi ocultada aos estudantes

Residência para estudantes da Universidade do Porto vai agora sofrer uma "limpeza química e térmica profunda" do sistema de água

Os Serviços de Ação Social da Universidade do Porto demoraram mais de quatro meses a comunicar aos estudantes de uma residência universitária que tinha sido detetada legionela no sistema de água quente do edifício. De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, só na última segunda-feira à noite os estudantes foram informados desta situação, numa reunião para esclarecer as medidas a adotar, dado que o problema persiste.

Fonte do gabinete de comunicação da Reitoria admitiu ao jornal que que num "primeiro momento nada foi comunicado aos estudantes", dado que os valores eram "muito baixos" e "não havia razão para alarme". O sistema de água do edifício, situado na rua Joaquim Kopke, será agora sujeito a uma "limpeza química e térmica profunda", de acordo com a mesma fonte.

A legionela é a bactéria que causa a doença dos legionários, é contraída por via respiratória e pode causar pneumonia grave.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG