Jovem que matou Beatriz Lebre encontrado morto na prisão

O jovem tinha sido detido pela Polícia Judiciária (PJ) no final de maio e confessou ter assassinado a colega de faculdade, de 23 anos e natural de Elvas.

Ruben Couto, de 25 anos, o homicida confesso de Beatriz Lebre, foi encontrado morto neste domingo à noite, no Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL), segundo avançou a SIC Notícias.

O jovem tinha sido detido pela Polícia Judiciária (PJ) no final de maio e confessou ter assassinado a colega de faculdade, de 23 anos e natural de Elvas.

Rúben Couto estava em prisão preventiva enquanto o caso continuava a ser investigado pela Polícia Judiciária.

Beatriz Lebre tinha 23 anos e era oriunda de Elvas. Era licenciada em Psicologia pelo ISCTE (Universidade de Lisboa) e estava a tirar o mestrado em psicologia social e das organizações. Trabalhava numa loja do centro comercial Colombo. No seu perfil do Linkedin definia-se como uma "apaixonada por música, pessoas, cinema, teatro, filosofia e literatura" - tinha estudado música e a sua grande paixão era o piano.

O alerta do desaparecimento de Beatriz tinha sido dado pela família em maio, depois de dois dias sem conseguir entrar em contacto com a jovem que estudava e vivia em Lisboa.

A polícia dirigiu-se então à casa de Beatriz, tendo encontrado no quarto a carteira, o telemóvel ligado e restos de comida. Havia também vestígios de sangue. Foi através da análise das chamadas telefónicas de Beatriz que a polícia chegou a Rúben Couto, de 25 anos, colega de faculdade de Beatriz.

Rúben Couto foi detido, interrogado e confessou que matou Beatriz no dia 22 de maio, tendo depois atirado o corpo ao rio.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG