Veja o mapa dos postos: já há 22 sem combustível ou condicionados

Não é certo que a greve avance, mas o pânico já está instalado. Corrida às bombas de gasolina começa a esgotar combustível em Lisboa e no Alentejo. Uma bomba na A2 já está sem gasolina.

Não há nenhum combustível disponível para abastecimento na bomba da Galp de Alfragide, em Lisboa (sentido Norte-Sul), como também está seca a bomba de gasolina da Cova do Gato, no Alentejo. Há ainda outros 20 postos em território continental que já não têm um dos combustíveis: gasolina, gasóleo e ou GPL, de acordo com o mapa criado pela VOST Portugal, #JáNãoDáParaAbastecer.

De entre os 20 postos já sem um dos combustíveis, há oito sem gasolina, dez sem gasóleo e dois sem GPL. Um dos postos sem gasolina é o posto da A2 em Aljustrel (sentido Sul-Norte).

Os postos REPA (Rede Estratégica de Postos de Abastecimento e identificados no mapa) destinam-se ao abastecimento de viaturas de emergência e só ficarão ativos se a greve avançar e assim que o Governo decrete o estado de emergência energética. Até lá, são postos de abastecimento normais.

Validação reforçada

De acordo com Jorge Gomes, um dos fundadores da VOST Portugal - Voluntários Digitais em Situações de Emergência, desta vez - a plataforma já existia na altura da primeira greve, em abril - o sistema de validação das bombas sem combustível foi melhorado.

"Só assinalamos um posto [sem combustível] após, no mínimo, dez submissões individuais [informação, por pessoa, de que determinada bomba não tem combustível] e também recebemos chamadas ou mensagens privadas dos nossos voluntários que estão no local e conseguem reportar que não existe combustível", disse ao DN.

Veja aqui o mapa:

A nova plataforma da VOST Portugal é mais acessível ao utilizador, tem acesso a mapas disponibilizados gratuitamente pela empresa Mapbox, com a indicação dos postos existentes em todo o território continental. O mapa irá apresentar não só dados relativos a gasolina e gasóleo mas também GPL e, desta vez, será mais fácil consultar o mapa através do smartphone - em abril mais de 80% dos acessos foram feitos via mobile, informa a VOST.

A plataforma passa a contar com um sistema de validação automático - houve casos, na primeira greve, em que foram enviadas informações erradas sobre bombas que já estariam sem combustível, o que não era verdade, mas uma estratégia de quem queria evitar enchentes na bomba onde costumava abastecer, segundo Jorge Gomes, um dos fundadores da VOST Portugal.

A Plataforma #JáNãoDáParaAbastecer conta ainda com uma aplicação - a API - disponível para os grandes distribuidores e entidades oficiais que podem colocar informação na plataforma e que terão prioridade.

A Waze Portugal - que também conta com o trabalho de voluntários - juntou-se à VOST e vai atualizar a informação na sua plataforma via API. O site #JáNãoDáParaAbastecer irá ter um link direto para o posto de combustível com disponibilidade mais próximo, via Waze.