Bebé morre em incêndio num prédio na Amadora

O incêndio deflagrou num prédio de três andares e fez uma vítima mortal, uma bebé, de um ano. Seis pessoas ficaram feridas, entre as quais três com gravidade. O incêndio está extinto

O incêndio que deflagrou num prédio de três andares em Venteira, na Amadora fez uma vítima mortal. Seis pessoas ficaram feridas, das quais três com gravidade, disse ao DN fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa.

A vitima mortal é uma bebé, de um ano, avançou ao DN o comandante dos Bombeiros da Amadora. "A mãe terá deixado cair a bebé nas escadas quando tentava fugir", explica Mário Conde.

Os pais da menina e os bombeiros estão a receber acompanhamento psicológico por uma equipa do INEM, avançou ainda o comandante.

De acordo com fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) bebé de dois meses ficou intoxicado e foi igualmente transportado para o Hospital de Santa Maria.

O incêndio deflagrou esta manhã no rés-do-chão do prédio de três andares, situado na Estrada Salvador Allende. O alerta foi dado às 07:18.

O rés-do-chão ficou completamente destruído pelas chamas.

No local, estiveram nove veículos, 26 operacionais, entre os quais dos bombeiros da Amadora, de Queluz, bem como elementos da PSP e ainda uma viatura do INEM.

O incêndio foi dado como extinto pelos bombeiros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".