PSP vai destruir 2511 armas de fogo e brancas

Este ano, foram destruídas 35 583 armas. Em 2017, a Polícia de Segurança Pública destruiu 26 473.

A PSP vai destruir esta quinta-feira 2511 armas de fogo e brancas, totalizando 35 583 as armas destruídas este ano pela Polícia de Segurança Pública.

A destruição destas 2511 armas, a realizar numa empresa especializada no Seixal, é a 11.ª ação realizada este ano pela PSP, refere aquele polícia em comunicado.

Com esta ação, a Polícia de Segurança Pública totaliza a destruição de 35.583 armas, enquanto, em 2017, foram destruídas 26 473 armas.

Segundo a PSP, as armas a destruir foram declaradas como perdidas a favor do Estado no âmbito de processos-crime, contraordenação ou administrativos, depois de apreendidas durante missões de prevenção e investigação criminais.

A PSP adianta que integram ainda o referido lote as armas entregues voluntariamente ao Estado pelos seus detentores ou achadores.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.