PSP e GNR asseguraram 139 transportes de combustível até domingo

Agentes policiais empregues no quadro da situação de alerta declarada pelo Ministério da Administração Interna ao nível da Proteção Civil.

A GNR e a PSP empenharam 158 agentes policiais nas ações de transporte de combustível durante a greve dos motoristas, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo Ministério da Administração Interna (MAI).

Segundo o MAI, os agentes daquelas duas forças de segurança conduziram 139 veículos pesados de transporte de mercadorias perigosas desde o início da greve (12 de agosto) até domingo, dia em que a greve foi desconvocada pelo segundo e último sindicato que a tinham convocado.

Devido à greve dos motoristas, foi declarada a situação de crise energética e, no âmbito da Proteção Civil, a situação de alerta face à suscetibilidade de serem afetados bens e serviços absolutamente essenciais à população.

A situação de crise energética teve como objetivo garantir os abastecimentos energéticos essenciais à defesa, ao funcionamento do Estado e dos setores prioritários da economia, bem como à satisfação dos serviços essenciais de interesse público e das necessidades fundamentais da população durante a greve dos motoristas.

Na quinta-feira, o Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) desconvocou a paralisação, mas o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas manteve-a e só a desconvocou o protesto domingo, após um plenário de trabalhadores.

Para terça-feira está marcada uma reunião no Ministério das Infraestruturas e Habitação, em Lisboa, para a retoma de negociações entre a associação patronal Antram e o SNMMP.

Exclusivos