Procuradoria abre inquérito ao caso das golas inflamáveis

Ministério Público determinou a instauração de um inquérito ao caso da compra de golas para os kits do programa "Aldeia Segura", que "corre termos no Departamento Central de Investigação e Ação Penal".

"O Ministério Público determinou a instauração de um inquérito" relativamente ao caso da compra de golas para os kits do programa "Aldeia Segura", confirmou ao DN fonte oficial da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Segundo a fonte da PGR, o inquérito "corre termos no Departamento Central de Investigação e Ação Penal", o que significa que estarão envolvidas várias comarcas.

Em causa estão 70 mil golas compradas para o programa "Aldeia Segura", que são de material inflamável e poderão ter custado mais do que o previsto. Esta terça-feira soube-se que a empresa do filho do secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, celebrou contratos com o Estado quando o pai já tinha assumido funções governativas.

A primeira notícia culminou com a demissão do adjunto Francisco Ferreira e a segunda fez crescer a pressão sob o Artur Neves, que recusou demitir-se.

Notícia em atualização

Exclusivos