Pingo Doce denuncia corrupção. Quatro funcionários detidos pela PJ

Foi a própria entidade empregadora que denunciou os detidos, três homens e uma mulher entre os 40 e os 65 anos.

A Polícia Judiciária deteve quatro pessoas esta quarta-feira por prática de crimes de branqueamento de capitais e de corrupção passiva e ativa no setor privado. O DN sabe que as detenções foram feitas no grupo Jerónimo Martins, nos supermercados Pingo Doce, e que os suspeitos favoreciam determinados fornecedores a troco de compensações.

"As suspeitas da prática delituosa foram denunciadas pela entidade privada, empregadora de alguns dos detidos, que colaborou amplamente com a investigação", anunciaram as autoridades em comunicado.

Entre os detidos estão três homens e uma mulher, entre os 40 e os 65 anos, "já com alguma responsabilidade na empresa", adiantou fonte policial à agência lusa. Serão agora sujeitos a interrogatório e a medidas de coação. A investigação prosseguirá depois no Departamento de Investigação e Ação Penal, em Loures.

As detenções foram feitas no âmbito da Operação Rappel, em Lisboa. A Unidade Nacional de Combate à Corrupção realizou hoje 18 buscas e apreendeu viaturas de topo de gama, documentos, material informático e cerca de 400 mil euros.

Ler mais

Exclusivos