Operação "Natal Tranquilo" registou dois mortos em 259 acidentes no sábado

Mais de 1400 militares da GNR estão envolvidos no reforço do patrulhamento e fiscalização das estradas com maior tráfego.

A operação "Natal Tranquilo" registou sábado 259 acidentes na estrada, que resultaram em dois mortos (em Cinfães e Benavente) e seis feridos graves, disse este domingo fonte da GNR.

A GNR registou ainda um total de 85 feridos ligeiros na sequência dos acidentes durante o dia de sábado (até às 24:00), o segundo da operação "Natal Tranquilo".

A GNR tem em curso desde sexta-feira e até quarta-feira a Operação "Natal Tranquilo", que prevê o reforço do patrulhamento e da fiscalização nas vias com maior tráfego nesta altura do ano no país.

A operação vai contar com a participação de mais de 1400 militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais.

O objetivo é, segundo a GNR, prevenir a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, no sentido de lhes proporcionar uma deslocação em segurança.

A GNR vai estar atenta a manobras perigosas, à correta sinalização e execução de manobras de ultrapassagem, de mudança de direção e de cedência de passagem, à utilização indevida do telemóvel e ao excesso de velocidade, nas zonas sob sua jurisdição.

A GNR vai também estar atenta à não circulação na via mais à direita em autoestradas e itinerários principais e complementares, bem como à incorreta ou a não utilização do cinto de segurança e/ou dos sistemas de retenção para crianças.

A GNR aconselha também os condutores a fazerem um planeamento cuidado das viagens, evitando os períodos do final do dia, quando se prevê maior intensidade de tráfego, a descansarem antes de efetuar a viagem e a, pelo menos de duas em duas horas, ou sempre que necessário, pararem e descansarem.

É também recomendado aos condutores que adequem a velocidade às condições climatéricas, ao estado da via e volume de tráfego, que mantenham a calma em situações de elevada intensidade de tráfego e que evitem manobras que possam resultar em embaraço para o trânsito ou contribuir para a ocorrência de acidentes.

Por fim, a GNR pede anda a adoção de uma condução atenta e defensiva.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

"Petróleo, não!" Nesta semana já estivemos perto

1. Uma coisa é termos uma vaga ideia de quão estupidamente dependemos dos combustíveis fósseis. Outra, vivê-la em concreto. Obrigado aos grevistas. A memória perdida sobre o "petróleo" voltou. Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.