Manifestação pede demissão da Câmara de Pedrógão

Pouco antes da reunião extraordinária da Assembleia Municipal, que decorre esta tarde em Pedrógão Grande, está marcada uma manifestação popular

Uma manifestação "pela demissão do executivo municipal de Pedrógão Grande" está marcada para esta tarde, antecedendo a reunião extraordinária da Assembleia Municipal, cujo ponto único é a "análise da execução da aplicação de fundos doados às diversas instituições para recuperação de património habitacional na sequência dos fogos de 2017".

A manifestação está a ser convocada através do Facebook, desde a semana passada, e embora nãos se saiba quem são os autores, há cerca de 500 pessoas interessadas no evento, agendado para as 16h30, em frente à Casa da Cultura de Pedrógão Grande.

De acordo com a descrição do evento - criado por uma página denominada "Demissão do Executivo Municipal de Pedrógão Grande por Compadrio", "a justiça fará o que compete à justiça, e o povo fará o que compete à democracia, exigir a demissão e convocação de novas eleições em Pedrógão Grande".

A manifestação exige também "a devolução do dinheiro gasto indevidamente até ao último cêntimo". Além disso, a manifestação exige ainda "a constituição de arguidos no processo de reconstrução das casas", bem como a constituição do autarca Valdemar Alves, presidente da autarquia, como arguido - "pela corresponsabilidade nas consequências do incêndio de 17 de junho de 2017, inerentes às suas competências e atribuições nos termos da Lei 65/2007 e das quais não se pode eximir tenha ou não delegado funções".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.