Incêndio em Valongo já está dominado. A41 esteve cortada

Fogo foi dado como dominado por volta das 22.00, depois de ter obrigado a cortar o trânsito na A41. Em Odemira mais de 200 bombeiros estão a combater um incêndio com duas frentes ativas.

O incêndio que deflagrou hoje em Alfena, concelho de Valongo, já foi dado como dominado, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto.

"O incêndio foi dado como dominado cerca das 22:00. Não temos informação de vítimas nem de habitações afetadas pelas chamas", disse à Lusa fonte do CDOS do Porto.

As fortes rajadas de vento que se fazem sentir dificultaram muito o trabalho dos 191 bombeiros que estão a combater um incêndio florestal em Alfena (Valongo). Segundo Delfim Cruz, comandante operacional municipal, o fogo, que começou esta terça-feira às 12:27 em Alfena, "passou para Valongo, no distrito do Porto, seguindo em direção à Quinta Rei, onde estão sediados meios da Afocelca", empresa parceira do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais. A A41 esteve cortada entre Porto e Penafiel.

Apesar da progressão do fogo, o responsável referiu que não há habitações em risco. O que se veio confirmar.

Segundo a página na Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o incêndio mobilizava, pelas 18:00, 191 operacionais, apoiados por 53 carros e sete meios aéreos.

A sul, um incêndio florestal que deflagrou hoje à tarde no concelho de Odemira (Beja) tinha duas frentes ativas cerca das 22:00 e estava a ser combatido por 229 operacionais, apoiados por 75 veículos, disse fonte da Proteção Civil.

A fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja indicou à agência Lusa que o incêndio está a devastar uma área de pasto, mato, eucaliptos, sobreiros e medronheiros, na zona de São Luís.

Segundo a mesma fonte, o alerta foi dado às 14:04 e no combate às chamas estão envolvidos bombeiros de várias corporações dos distritos de Beja, Setúbal, Faro, Évora e Portalegre.

Durante a tarde estiveram também a combater o fogo, sete meios aéreos, quatro aviões e três helicópteros, adiantou a fonte do CDOS.

O alerta especial vermelho de agravamento do risco de incêndio florestal que vigora em vários distritos vai terminar às 23:59 desta terça-feira, passando todo o continente a estar em alerta laranja, devido à diminuição das temperaturas até quinta-feira.

O anúncio foi feito hoje pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, numa conferência de imprensa que decorreu nas instalações da proteção civil, em Carnaxide, distrito de Lisboa, ressalvando contudo que pode ser novamente decretado um novo alerta vermelho se as condições se agravarem a partir de quinta-feira.