Madeira: quatro feridos em estado crítico. Governo decreta três dias de luto nacional

Dos 27 feridos do acidente do autocarro, que fez 29 mortos, nove pessoas já tiveram alta, oito estão internados em Ortopedia e quatro nos Cuidados Intensivos. Governo da República aprovou três dias de luto nacional.

Há quatro feridos em estado crítico, revelaram esta quinta-feira de manhã os responsáveis do Hospital do Funchal, onde estão internados 27 feridos do acidente, dois dos quais portugueses, de um autocarro que matou 29 pessoas, a maioria turistas alemães de férias na ilha da Madeira.

Os feridos "estão conscientes e estáveis", explicou Miguel Reis, adjunto da direção do conselho de administração do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira.

Dos feridos entrados no hospital, um morreu ao fim do dia de ontem, nove já tiveram alta, oito encontram-se internados no serviço de Ortopedia e quatro estão na unidade polivalente de Cuidados Intensivos.

Há ainda seis vítimas que estão em observação no Serviço de Urgência e cinco foram submetidas a intervenção cirúrgica. Segundo o DN da Madeira, tratam-se do motorista e da funcionária da agência turística e três cidadãos estrangeiros.

De acordo com os responsáveis, as autópsias aos corpos deverão estar concluídas até sábado. Técnicos de Medicina legal reforçaram as equipas da região autónoma, durante esta madrugada, e não haverá necessidade de realizar nenhuma autópsia fora da ilha.

Entretanto, o Governo da República aprovou três dias de luto nacional, a iniciar esta quinta-feira, dia 18, até sábado, dia 20.

Num curto comunicado, o executivo revela que "o Conselho de Ministros aprovou hoje o decreto que declara os dias 18, 19 e 20 de abril como dias de luto nacional, como forma de expressão de pesar e de solidariedade de toda a população nacional para com as vítimas, e suas famílias, do trágico acidente com um autocarro de turismo, na Região Autónoma da Madeira, que provocou a perda irreparável de vidas humanas".

Ler mais

Exclusivos