Seis concelhos em risco máximo e subida da temperatura máxima

As temperaturas máximas vão chegar aos 34 graus celsius em Castelo Branco, Évora e Beja e as mínimas vão baixar até aos 12º

Seis concelhos dos distritos de Santarém e Faro estão em risco máximo de incêndio, segundo o Instituto do Mar e da Atmosfera, que prevê para esta sexta-feira vento forte no litoral oeste e nas terras altas e subida da temperatura máxima.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), estão em risco máximo de incêndio os municípios de Vila Nova da Barquinha, no distrito de Santarém, e os concelhos de Alcoutim, Castro Marim, Tavira, São Brás de Alportel e Loulé, todos em Faro.

Já em risco elevado, o segundo muito elevado, estão cerca de 70 municípios dos distritos de Bragança, Vila Real, Porto, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Aveiro, Leiria, Santarém, Lisboa, Portalegre, Beja e Faro.

O IPMA coloca ainda em risco elevado outros cerca de 100 municípios de Norte a Sul do país, sobretudo no interior e no Alentejo, além da ilha de Porto Santo.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre o "reduzido" e o "máximo".

O IPMA prevê para hoje uma pequena subida da temperatura e vento norte mais intenso no litoral oeste e nas terras altas

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje uma pequena subida da temperatura e vento norte mais intenso no litoral oeste e nas terras altas.

As temperaturas máximas vão chegar aos 34 graus celsius em Castelo Branco, Évora e Beja e as mínimas vão baixar até aos 12º (Guarda, Bragança, Guarda e Coimbra).

Nos Açores, o IPMA prevê céu geralmente pouco nublado e vento fraco, com os termómetros a chegarem aos 29º (Santa Cruz das Flores) e na Madeira o céu terá períodos de muita nebulosidade, com possibilidade de aguaceiros fracos nas vertentes norte e zonas montanhosas até meio da manhã, com as máximas a atingirem os 25º.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.