Seis concelhos em risco máximo e subida da temperatura máxima

As temperaturas máximas vão chegar aos 34 graus celsius em Castelo Branco, Évora e Beja e as mínimas vão baixar até aos 12º

Seis concelhos dos distritos de Santarém e Faro estão em risco máximo de incêndio, segundo o Instituto do Mar e da Atmosfera, que prevê para esta sexta-feira vento forte no litoral oeste e nas terras altas e subida da temperatura máxima.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), estão em risco máximo de incêndio os municípios de Vila Nova da Barquinha, no distrito de Santarém, e os concelhos de Alcoutim, Castro Marim, Tavira, São Brás de Alportel e Loulé, todos em Faro.

Já em risco elevado, o segundo muito elevado, estão cerca de 70 municípios dos distritos de Bragança, Vila Real, Porto, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Aveiro, Leiria, Santarém, Lisboa, Portalegre, Beja e Faro.

O IPMA coloca ainda em risco elevado outros cerca de 100 municípios de Norte a Sul do país, sobretudo no interior e no Alentejo, além da ilha de Porto Santo.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre o "reduzido" e o "máximo".

O IPMA prevê para hoje uma pequena subida da temperatura e vento norte mais intenso no litoral oeste e nas terras altas

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje uma pequena subida da temperatura e vento norte mais intenso no litoral oeste e nas terras altas.

As temperaturas máximas vão chegar aos 34 graus celsius em Castelo Branco, Évora e Beja e as mínimas vão baixar até aos 12º (Guarda, Bragança, Guarda e Coimbra).

Nos Açores, o IPMA prevê céu geralmente pouco nublado e vento fraco, com os termómetros a chegarem aos 29º (Santa Cruz das Flores) e na Madeira o céu terá períodos de muita nebulosidade, com possibilidade de aguaceiros fracos nas vertentes norte e zonas montanhosas até meio da manhã, com as máximas a atingirem os 25º.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.