Incêndio de Monchique está "globalmente estabilizado", diz Proteção Civil

Balanço indica que existem 39 feridos, 21 dos quais são bombeiros. Só uma pessoa está ferida com gravidade.

O incêndio que lavra há sete dias na serra de Monchique está "globalmente estabilizado" e sem frentes ativas, garantiu hoje Patrícia Gaspar, segundo-comandante da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), que assumiu o comando das operações. A responsável atualizou para 39 o número de feridos resultantes do incêndio de Monchique, no Algarve, dos quais 21 são bombeiros, registando-se apenas um ferido grave.

Na página oficial da ANPC, o incêndio deixou de ter frentes ativas na descrição do ponto da situação. É revelado que participam no combate às chamas 1437 operacionais, apoiados por 461 viaturas e sete meios aéreos.

A responsável da ANPC revelou também que começou hoje a ser preparado a regresso a casa das 299 pessoas deslocadas das suas habitações dos concelhos de Monchique, Portimão e de Silves, operação que decorre conjuntamente com a Segurança Social, a Cruz Vermelha, o INEM e as autarquias.

"Houve pessoas que espontaneamente já regressaram às suas habitações e aquilo que nós queremos garantir é que este regresso se faça de forma ordeira e, sobretudo, em segurança. Temos de evitar precipitações", afirmou Patrícia Gaspar.

De acordo com a responsável, no concelho de Silves, a zona de apoio à população já foi desativada, em Portimão está em processo de desmontagem, e neste último caso a maioria das pessoas são oriundas do concelho de Monchique.

Fogo em Vinhais

Na página da ANPC há agora uma segunda ocorrência definida como importante. É um incêndio em Vinhais, distrito de Bragança, na localidade de Agrochão, onde estão 95 bombeiros com 30 viaturas. O incêndio lavra desde a meia-noite e tem uma frente ativa.

Ler mais