Fogo perto do Castelo de Sesimbra levou à retirada de 50 pessoas

O alerta para o incêndio na zona do Castelo de Sesimbra, que consumiu mato, foi dado às 16:38.

Um incêndio que deflagrou hoje à tarde na encosta do Castelo de Sesimbra (Setúbal) obrigou à retirada de "cerca de 50 pessoas" que se encontravam "a visitar" o monumento, transportadas para "local seguro", revelou a GNR.

O alerta para o incêndio na zona do Castelo de Sesimbra, que consumiu mato, foi dado às 16:38, segundo a página de Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Nas redes sociais, foram partilhadas imagens do incêndio.

Contactada pela agência Lusa, fonte do Comando Territorial de Setúbal da GNR explicou que o fogo começou "na zona envolvente ao castelo", em cujas instalações se encontravam "cerca de 50 pessoas e entre 25 a 30 veículos".

"Tenho a informação de que tanto as pessoas como os veículos já foram retirados, de forma progressiva, para evitar a confusão e, calmamente, foram transportados para um local seguro", disse.

Questionada pela Lusa, a mesma fonte disse que, das pessoas retiradas do interior do castelo pela GNR, "ninguém apresentava ferimentos".

O incêndio foi dado como dominado duas horas depois. "O incêndio encontra-se dominado, desde as 18:30, e não existem vítimas, nem danos materiais. Só queimou mato", disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal.

O fogo começou na Rua da Assenta, na encosta do castelo e, questionada pela Lusa sobre a alegada pluma de cinzas e o fumo que terá provocado sobre Sesimbra, a fonte do CDOS considerou a situação "normal".

"Todos os fogos criam fumo e é normal que crie aquela pluma, o castelo é mesmo encostado a Sesimbra", disse.

Exclusivos