Fogo em Aljezur obriga à retirada de seis pessoas das habitações. 213 bombeiros combatem chamas

Um incêndio que deflagrou ao início da tarde desta sexta-feira numa zona de mato em Monte Clérigo, concelho de Aljezur (Algarve) está a lavrar com intensidade, "perto de alguns pontos sensíveis", nomeadamente edificações dispersas, disse fonte da Proteção Civil.

Seis pessoas foram esta sexta-feira retiradas das suas habitações no Monte Clérigo, concelho de Aljezur, no Algarve, "por causa do intenso fumo" provocado por um incêndio, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

De acordo com o segundo comandante operacional distrital de Faro da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), Abel Gomes, as seis pessoas foram retiradas de três habitações como medida preventiva, "para evitar que fossem afetadas pelo intenso fumo".

Segundo aquele comandante, o incêndio tem três frentes: "uma a oeste que está dominada, outra a este que está a ceder aos meios, e uma a sul, sendo esta última a que oferece maior preocupação".

Abel Gomes disse que os meios no terreno vão ser reforçados com uma equipa de ataque ampliado, proveniente de Lisboa, e com operacionais da AFOCELCA - um agrupamento complementar dos grupos Navigator e ALTRI, que com uma estrutura profissional tem por missão apoiar o combate aos incêndios florestais nas propriedades das empresas agrupadas, em coordenação e colaboração com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

"O fogo está ativo e a arder com grande intensidade numa zona de mato, área onde existem alguns pontos sensíveis que nos preocupam, ou seja, edificações dispersas", disse anteriormente à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

De acordo com o segundo comandante operacional da Proteção Civil, Abel Gomes, o alerta para o fogo foi recebido pelas 15:27, tendo sido destacados para o local vários meios para um "combate inicial musculado".

Segundo o responsável, o vento que se faz sentir na zona está a dificultar o combate às chamas.

A página da internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil indicava, às 19:12, que o combate ao incêndio estava a ser feito por 213 operacionais, apoiados por 62 veículos e 8 meios aéreos.

Exclusivos