Bombeiro confessa ter ateado vários incêndios no Sabugal

Homem de 30 anos cometeu os crimes depois de ter furtado bens a uma colega: provocou os incêndios para mobilizar a corporação

Um bombeiro da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Sabugal assumiu a autoria de vários incêndios florestais ocorridos este último verão no concelho. O homem, de 30 anos, e que exercia as funções de motorista e bombeiro, foi detido e está em prisão domiciliária. Segundo comunicado da Polícia Judiciária (PJ), terá cometido os crimes "num quadro de alegado transtorno e vergonha". Depois de ter furtado bens a um colega, não queria enfrentar a corporação e tentou mobilizar os elementos para combates a incêndios que ele mesmo ateou. Terão sido pelo menos seis: em Teixedas, Cardeal, Cró, Alagoas/Amiais, Pousafoles do Bispo e Malcata.

A nota da PJ, enviada através do Departamento de Investigação Criminal da Guarda, refere que a investigação contou com a colaboração da associação à qual o arguido pertence.

Os vários incêndios, ocorridos entre 22 e 29 de agosto último, foram provocados pelo agora detido com recurso a chama direta e também à utilização de um cigarro aceso, e provocaram a destruição de aproximadamente 1 hectare de coberto vegetal e "só não atingiram maior intensidade graças à rápida e eficaz ação dos bombeiros", acrescenta o comunicado.

O motivo para atear os incêndios terá sido "mobilizar os seus colegas para serviços externos de combate aos fogos, procurando assim evitar cruzar-se com os mesmos no respetivo quartel nos dias que se seguiram à apropriação de valores", lê-se na nota.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".