Polícia Judiciária está em Borba a apoiar o Ministério Público

Agentes estão a fazer diligências na sequência do inquérito aberto pelo Ministério Público.

Uma equipa da Polícia Judiciária (PJ) está esta quarta-feira em Borba a proceder a investigações para apurar as circunstâncias do deslizamento de terras para pedreiras e o colapso de um troço de estrada, confirmou ao DN fonte policial.

De acordo com a mesma fonte, a intervenção da PJ surge na sequência de um inquérito instaurado pelo Ministério Público (MP) ao acidente ocorrido na tarde de segunda-feira na zona de Borba, distrito de Évora, e que provocou, pelo menos, dois mortos, além de haver três pessoas desaparecidas.

O MP instaurou um inquérito para "apurar as circunstâncias que rodearam a ocorrência", segundo a Procuradoria-Geral da República, em resposta enviada à agência Lusa.

O deslizamento de um grande volume de terra da estrada, que provocou "a deslocação de uma quantidade muito significativa de rochas, de blocos de mármore e de terra para o interior de pedreiras contíguas ocorreu às 15:45 de segunda-feira.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.