Incêndios. Reforço de meios em sete distritos em alerta vermelho

O alerta máximo abrange 29 concelhos de Braga, Bragança, Guarda. Porto, Viana do Castelo. Vila Real e Viseu. Ministro da Administração Interna já ordenou um reforço dos meios de combate e prevenção no terreno.

Eduardo Cabrita decretou a situação de alerta entre 18 e 22 de agosto, próxima terça-feira, para os sete distritos em risco de incêndio. O ministro mandou acionar um conjunto de medidas de proteção civil para os distritos em causa, entre as quais a mobilização em permanência das equipas de sapadores florestais e reforço dos agentes da GNR e PSP.

São também reforçados os meios para as operações de vigilância e fiscalização e até canceladas as licenças de férias aos agentes das forças de segurança em caso de necessidade. É também aumentado o "grau de prontidão" e mobilização de equipas competentes na área da saúde e das operadoras de redes móveis e fixas e de energia.

Por outro lado, são dispensados do serviço público os trabalhadores da Administração Publica que desempenhem funções cumulativamente com a de bombeiros voluntários; e do setor privado que também integrem as corporações de bombeiros nas zonas de alerta vermelho.

Fica igualmente estabelecida a proibição de acesso, circulação permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI), bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem.

E numa altura em que há muitas festas de verão nas aldeias, é estabelecida a proibição total da utilização do fogo-de-artifício, bem como a suspensão das autorização que já tenham sido dadas pelas autarquias para a sua utilização.

Eduardo Cabrita afirma ainda que "o governo acompanha em permanência o evoluir da situação operacional e apela aos cidadãos para que adequem os seus comportamentos ao quadro meteorológico".

A Autoridade Nacional de Proteção Civil, entre outras medidas, pré-posicionou os meios, o grupo de reforço de incêndios florestais em Vila Real, Macedo de Cavaleiros (Bragança), Albergaria (Aveiro) e Ponte de Lima (Viana do Castelo). Foram ainda colocadas 6 máquinas de rasto em Guimarães (Braga), Trancoso (guarda), Proença-a-Nova (Castelo Branco), Mangualdde (Viseu), Mirandela (Bragança) e Loulé (Faro).

Vão ser ainda enviados SMS preventidos à população nos distritos em alerta vermelho.

Preocupação de Costa


O primeiro-ministro tinha-se manifestado na quinta-feira preocupado com as previsões meteorológicas que indiciam um aumento do risco de incêndio a partir desta sexta-feira,

"As previsões podem implicar que a partir de amanhã [sexta-feira] o Ministério da Administração Interna venha a declarar um risco de alerta vermelho, o que tem consequências com um conjunto de proibições", disse aos jornalistas António Costa, no final da reunião semanal com o Presidente da República, que decorreu em Sagres, no Algarve.

De acordo com António Costa, "é importante que todos fiquem cientes desse risco para evitar comportamentos que são comportamentos perigosos".

"Foguetes, trabalhos com máquinas agrícolas, queimadas, todo esse tipo de comportamentos que devemos desde já prepararmo-nos para não utilizar durante o próximo fim de semana, onde o aumento de temperatura, a secura dos solos e os ventos, aumentam o risco de incêndios", sublinhou o primeiro-ministro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG