Incêndio em Aljezur dominado e suspeito identificado

O incêndio que deflagrou na sexta-feira em Aljezur, no Algarve, foi dado como dominado às 09:10 deste sábado. Homem de 44 anos terá sido o responsável, tendo sido ele a dar o alerta.

A GNR identificou um homem, de 44 anos, pela ignição do incêndio rural que deflagrou na sexta-feira em Vilarinha, no concelho de Aljezur, anunciou este sábado a corporação, adiantando que foi o próprio que alertou as autoridades. O incêndio foi dado como dominado esta manhã.

"O homem encontrava-se a efetuar trabalhos de gestão de combustível, com recurso a uma motorroçadora, quando o equipamento entrou em sobreaquecimento após três horas de utilização, provocando a emissão de fagulhas provenientes do escape, dando-se início ao incêndio", refere a GNR em comunicado.

Nessas circunstâncias, adianta, "o homem, que trabalhava sozinho, deu o alerta às autoridades e ainda tentou extinguir o incêndio com recurso a uma mangueira, no entanto, atendendo ao acentuado declive do terreno e às condições climatéricas, não o conseguiu extinguir, levando a que o mesmo se propagasse".

Os factos serão remetidos ao Tribunal Judicial de Lagos, informa a GNR, adiantando que o homem foi identificado na sexta-feira pelo Comando Territorial de Faro, através do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Portimão, "pela ignição de um incêndio rural que se iniciou em Vilarinha, no concelho de Aljezur".

O incêndio que deflagrou na sexta-feira em Aljezur, no Algarve, foi dado como dominado às 09:10 de hoje, de acordo com o segundo comandante, Abel Gomes, do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro, que aproveitou para elogiar os bombeiros.

Os operacionais que estiveram no teatro de operações "foram incansáveis", o que permitiu dominar o incêndio no período da manhã, afirmou o segundo comandante, Abel Gomes, em conferência de imprensa em Budens, Vila do Bispo.

Na sexta-feira, por precaução algumas pessoas foram aconselhadas a sair das suas casas, tendo sido reencaminhadas para a Aldeia de Pedralva, mas a situação já está regularizada.

"As pessoas já regressaram às suas habitações e outras, como estavam em autocaravanas, deslocaram-se para outros locais", disse a mesma fonte.

Ao início da tarde de sexta-feira, o incêndio chegou a ter três frentes ativas a progredir com "grande intensidade", e a Proteção Civil deslocou habitantes de casas que estavam na frente de fogo para a Aldeia da Pedralva, uma aldeia rural do concelho de Vila do Bispo que já foi habitada por mais de 100 pessoas, mas cujas 24 casas são usadas, desde 2010, para fins turísticos.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG