Hospitais da CUF alvo de ataque informático

O sistema informático dos hospitais do grupo CUF sofreu um ataque que impede a utilização dos computadores do grupo. Impacte ainda está a ser avaliado

O vírus informático que terá infetado os sistemas dos hospitais do grupo José de Mello Saúde tem o nome de SamSam e bloqueia o acesso à informação que está no sistema.

Com esta situação o acesso aos registos dos doentes é de difícil acesso, ou mesmo impossível. No entanto, o DN sabe que os serviços informáticos do grupo hospitalar estão a tentar resolver o problema. E em resposta ao DN, por volta das 11.00 deste sábado, o grupo José Mello Saúde garante que "todos os dados do sistema estão salvaguardados, não tendo havido qualquer quebra de segurança dos mesmos".

Acrescentando também que "a atividade nas unidades de saúde da rede CUF decorre com normalidade à exceção das consultas programadas para hoje [sábado] que, por prudência, foram desmarcadas, tendo todos os doentes sido informados desta situação e de que serão contactados para remarcação, assim que todas as funcionalidades do sistema estejam restabelecidas, o que se prevê que aconteça muito brevemente".

Por norma, o ataque é seguido de uma mensagem a pedir dinheiro para que a informação seja libertada pelo pirata informático.

Ainda não é claro se este ataque está relacionado com a quebra de energia da noite passada em Cascais, Sintra e Oeiras.

O DN contactou o grupo José de Mello Saúde que confirmou "dificuldades no acesso ao sistema informático da rede CUF, motivadas pelo aparecimento de um vírus, prontamente detetado e controlado". Esses problemas surgiram durante o dia de ontem, sexta-feira.

Exclusivos