Hacker do Benfica defendido por fundação que apoiou Snowden

A Signals Network, uma fundação que apoia "denunciantes" de ilegalidades, através de ciberataques, diz que Rui Pinto é "um grande denunciante europeu da Football Leaks"

Um dos advogados do hacker português, detido esta quarta-feira na Hungria, é o francês William Bourdon, que faz parte do conselho consultivo da The Signals Network, uma fundação franco-americana que "tem representado os notáveis ​​denunciantes Edward Snowden e Antoine Deltour", segundo um comunicado desta instituição.

A Signals Network confirma que Rui Pinto faz parte da Football Leaks "que expôs irregularidades em toda a indústria do futebol e por grandes jogadores" e que está a ter o "apoio legal" da Fundação "que se dedica a apoiar aqueles que correm o risco de expor informações de interesse público".

Rui Pinto é suspeito de ter cometido crimes de extorsão qualificada na forma tentada, acesso ilegítimo, ofensa a pessoa coletiva e violação de segredo. Terá sido quem acedeu aos sistemas informáticos do Benfica, divulgando toda a correspondência eletrónica do clube, que esteve na origem do inquérito E-Toupeira. Bourdon alega que o seu cliente é "um grande denunciante europeu e integra a Football Leaks". Pinto, acrescenta, "foi motivado a expor a atividade criminosa no futebol ao mundo".

A Diretora Executiva da The Signals Network, Delphine Halgand-Mishra, sublinha que estas fugas do futebol "foram investigadas por grandes organizações internacionais de media, incluindo a Der Spiegel, Mediapart e outros membros de European Investigative Collaborations (EIC Network), durante vários anos".

Esta responsável salienta que "muitas revelações do Football Leaks iniciaram processos judiciais investigações em toda a Europa, na França, na Suíça, na Espanha e até nos Estados Unidos. Por todas estas razões, Rui Pinto merece ser apoiado por todos aqueles que estão empenhados em defender a liberdade de imprensa e o jornalismo de investigação", afirma.

A The Signals Network diz ser uma organização sem fins lucrativos franco-americana. Tem como objetivo "defender o interesse público, incentivando a transparência, a prestação de contas, a elaboração de relatórios e a denúncia de irregularidades".

O seu primeiro programa é focado no apoio a "colaborações investigativas", para que as redações sejam melhor equipadas para trabalhar de forma proativa com os denunciantes. The Signals fornecem aos parceiros de media acesso a especialistas em segurança e uma rede de advogados a quem podem indicar potenciais denunciantes que precisem de assessoria jurídica, juntamente com recursos para jornalistas e denunciantes.

O segundo programa da The Signals é o "Programa de Proteção aos Denunciantes", que oferece serviços de apoio - jurídico, psicológico, gestão de relações públicas, advocacia, segurança online, habitação segura - a um número selecionado de denunciantes, que contribuíram para publicações relacionadas com ilegalidades".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG