Filas enormes nas saídas de Lisboa com o aproximar da proibição de Páscoa

Com o aproximar da entrada em vigor da proibição de sair do concelho de residência, centenas de automobilistas estão a congestionar as saídas de Lisboa, com a polícia a controlar as viaturas nos acessos às pontes.

Às 00.00 de quinta-feira entra em vigor o artigo do decreto do estado de emergência que proíbe as deslocações para fora dos concelhos de residência e será esta a principal motivação de centenas de automobilistas que estão a congestionar as principais saídas de Lisboa. A PSP não está a facilitar e tem montadas diversas operações de controlo do trânsito, o que faz o movimento nas vias ser muito lento. É o caso da Segunda Circular.

A somar à medida do estado do emergência, na quinta-feira os funcionários públicos têm tolerância de ponto.

Os acessos às pontes 25 de abril e Vasco da Gama são os principais pontos de congestionamento.

Durante o dia circularam imagens de Vila Nova de Famalicão, onde hoje foi dia de feira semanal, com muitos carros em fila. Mas a Câmara Municipal e o ministro da Administração Interna disseram que a situação é justificada por estarem a decorrer obras nas proximidades, o que motivou uma maior concentração de veículos, classificando a situação ali vivida como pontual.

35 mil polícias nas ruas

Para a operação conjunta "Páscoa em Casa", das 00:00 de 09 de abril até às 24:00 de 13 de abril, os cerca de 35 mil militares da GNR e agentes da PSP que têm estado a vigiar o cumprimento das normas do estado de emergência vão concentrar-se nas principais vias rodoviárias de acesso ao norte e ao sul do país, bem como terminais de transportes e entradas das principais cidades, acompanhando idosos e vítimas de violência doméstica.

Novas restrições de circulação impostas na renovação do estado de emergência estipulam que entre 09 e 13 de abril as deslocações não poderão fazer-se para fora do concelho de residência, salvo situações autorizadas. Só com uma declaração será possível circular para sair do concelho de residência.

"Fiquem em casa, Será uma Páscoa diferente" mas é necessário, dizem PSP e GNR.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG