Dois militares da GNR "atingidos com disparos de arma de fogo" em operação Stop

Viatura que desrespeitou a ordem para parar, inverteu a marcha no IC2 e disparou contra a patrulha dos militares.

Dois militares da GNR ficaram feridos na madrugada deste sábado durante uma operação de fiscalização rodoviária na zona de Cernache, distrito de Coimbra, segundo a GNR e o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Coimbra.

Segundo este CDOS, os dois militares "foram atingidos com disparos de arma de fogo", tendo sido considerados "feridos leves". A mesma fonte acrescenta que o alerta foi dado pela 01:10, para uma ocorrência no Itinerário Complementar 2 (IC2), junto ao posto de combustível da Repsol, na freguesia de Cernache.

O comando da GNR explicou à Lusa, por seu lado, que apenas um dos militares foi transportado para o hospital "aparentemente ferido com os estilhaços do vidro" da janela da viatura da GNR, atingida pelo disparo do automóvel que desrespeitou a ordem para parar, inverteu a marcha no IC2 e disparou contra a patrulha dos militares.

PJ está a investigar o caso

A viatura, com "dois a três indivíduos", colocou-se depois em fuga. A GNR acrescentou que o militar ferido está ainda em observação e a realizar exames no hospital.

A investigação, como envolve o uso de arma de fogo, passou para a Polícia Judiciária.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Condeixa-a-Nova e duas patrulhas da GNR, indicou o CDOS de Coimbra.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.