D. Manuel Clemente afirma que ouviu uma vítima de abusos sexuais

O Papa Francisco pediu aos bispos para tentarem conhecer casos de crianças abusadas sexualmente por elementos da Igreja antes da cimeira no Vaticano sobre a proteção destas vítimas.

"Como se diz e bem: se fomos parte do problema, agora temos de ser parte da solução. É isso que o Papa Francisco quer e é isso que nós queremos com ele", disse esta quarta-feira o cardeal patriarca D. Manuel Clemente, citado pela Rádio Renascença.

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) prestou estas declarações ainda em Lisboa, mas prestes a ir para Roma para participar na cimeira sobre abusos sexuais de menores na Igreja que decorrerá entre quinta-feira e domingo. Antes do encontro, o cardeal afirma que se encontrou com pelo menos uma vítima de abusos sexuais, tal como o Papa Francisco sugeriu aos bispos, manifestando ainda a sua disponibilidade para ouvir mais casos semelhantes.

Cerca de 190 representantes de ordens religiosas da igreja católica e presidentes de conferência episcopais vão reunir-se no Vaticano. O Papa também vai estar presente, bem como outras figuras empenhadas no combate aos abusos sexuais na Igreja a pedido do sumo pontífice, como o arcebispo de Malta e secretário adjunto da Congregação para a Doutrina da Fé, Charles J. Scicluna.

"É uma ocasião de reflexão, de escuta, de partilha, para se encontrar, como o Papa disse, as melhores indicações para resolver, ainda mais e melhor e sobretudo prevenir, casos destes. Porque, nestes casos, é sempre melhor prevenir do que remediar, embora às vezes só nos reste remediar", prevê D. Manuel Clemente.

Em 2018, Francisco assumiu como compromisso alterar o comportamento da igreja católica para com as vítimas de abusos sexuais e paralelamente tem colaborado com uma investigação policial que já levou à identificação de 200 vítimas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG