Covid-19. Santa Maria suspende cirurgias e consultas não urgentes

Mantém-se cirurgias essenciais, como as da área da oncologia. Santa Maria já tem enfermaria exclusiva para doentes com covid-19, com capacidade para 22 pessoas, mais 11 numa unidade de cuidados intensivos.

A suspensão de cirúrgias e consultas externas não urgentes são medidas que o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) - que inclui Santa Maria e o Pulido Valente - vai adotar para libertar recursos para lidar com o novo coronavírus e, ao mesmo tempo, proteger os doentes a seu cargo.

Mantém-se as cirurgias consideradas essenciais, nomeadamente as relacionadas com doença oncológica, o que se aplica também a exames de diagnóstico e sessões de hospital de dia, onde se mantém os urgentes ou clinicamente inadiáveis, disse o CHULN.

Já quanto às consultas externas não urgentes, que agora ficam suspensas, a ideia é reagendá-las ou substituídas, quando possível, por consultas não presenciais.

Primeira enfermaria para covid-19

O Hospital de Santa Maria tem desde esta sexta-feira primeira enfermaria do país exclusivamente vocacionada para receber futuros doentes com covid-19, com capacidade para 22 pessoas, a que se junta uma Unidade de Cuidados Intensivos com capacidade para até 11 doentes e que pode receber casos que necessitem de ECMO (oxigenação por membrana extracorpórea).

Na próxima semana, o CHULN terá cerca de 250 trabalhadores em teletrabalho, medida que a curto prazo vai abranger mil trabalhadores, essencialmente de áreas não assistenciais, ou seja, pessoal não médico. O Centro Hospitalar passará também a ter um novo espaço de isolamento para casos suspeitos junto à Urgência Central, que se junta a um outro que entrou em funcionamento no início da semana.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG