Concelho de Lisboa ultrapassa os oito mil casos. Apenas 17 municípios têm menos de três infetados

Registaram-se mais 781 casos no concelho de Lisboa nos últimos sete dias, segundo os dados do boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde.

No espaço de sete dias, foram confirmados mais 781 casos de covid-19 no concelho de Lisboa, que continua a ser o mais afetado pela pandemia no país, tendo ultrapassado a barreira dos oito mil infetados (8241), de acordo com os dados do boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde (DGS), divulgado esta segunda-feira (19 de outubro).

De 308 concelhos, 291 reportaram mais de três casos de covid-19. Ou seja, apenas 17 municípios não constam do relatório da autoridade de saúde por terem menos de três casos ou por estarem livres de covid-19.

Os concelhos da Área Metropolitana de Lisboa continuam a ser aqueles que registam mais casos. Sintra é o segundo concelho do pais com mais notificações, são agora 6763, um aumento de 653 diagnósticos de covid-19, face à semana anterior. Já em Loures, nos últimos sete dias, foram confirmados mais 297 novos casos, o que eleva para 3891 o número total de infetados. Ainda acima dos três mil surge Amadora com 3472 casos (mais 204).

A atualização dos casos ao nível municipal é publicada à segunda-feira, sendo que, refere a DGS, a informação diz respeito ao total de notificações médicas através do sistema SINAVE e não inclui notificações laboratoriais, o que faz com que os números podem não corresponder ao total de cada concelho.

O relatório da autoridade da saúde indica que Vila Nova de Gaia regista agora 2888 infeções pelo novo coronavírus (mais 299), o Porto 2884 (mais 564), Cascais tem 2695 (315), Odivelas 2676 (mais 190), Oeiras 2131 (mais 190), Vila Franca de Xira 2007 (mais 171).

Há 11 concelhos acima dos mil casos: Matosinhos 1929, Braga 1819, Guimarães 1772, Almada 1660, Seixal 1603, Gondomar 1523, Maia 1418, Paço de Ferreira 1303, Valongo 1160 e Vila Nova de Famalicão 1021.

Esta segunda-feira, Portugal ultrapassou os 100 mil casos de covid-19, o número total acumulado desde o início da pandemia. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 1949 novos infetados pelo novo coronavírus e morreram mais 17 pessoas, segundo o boletim da DGS. Desde março, registaram-se 101 860 casos, 2 198 vítimas mortais e 59 966 pessoas recuperaram da doença (mais 966 no último dia).

"Há uma grande transmissão comunitária do vírus"

Neste momento, há 39 696 doentes ativos a ser acompanhados pelas autoridades de saúde, mais 966 do​​​​​​ que ontem.

A maioria dos infetados das últimas 24 horas localiza-se na região do norte (mais 987 - 50,6% do total) e em Lisboa e Vale do Tejo (749 - 38,4%). Seguem-se o centro (mais 133), o Alentejo (35), o Algarve (32), os Açores (sete) e a Madeira (seis).

Em conferência de imprensa, esta quarta-feira, a diretora-geral da Saúde, admitiu que "há uma grande transmissão comunitária do vírus", mas que até agora ainda é possível, em 59% dos casos, saber qual a origem da contaminação, ou seja, quem foi o transmissor. Graça Freitas fala numa percentagem "francamente positiva" de rastreios de contactos bem sucedidos, apesar de esta ser "uma situação que se pode alterar de um dia para o outro".

Questionada sobre uma possível ligação entre o início do ano letivo presencial e o aumento de novos casos, a responsável pela DGS disse não existir nenhuma relação conhecida. Os casos que têm aparecido nas escolas são "isolados" e, na sua maioria, "de origem familiar ou social".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG