Combustíveis. O filme do dia em que a greve parou o país

A greve dos motoristas de matérias perigosas está a preocupar vários setores da sociedade. Dos transportes e distribuição de medicamentos ao turismo há alertas para uma "situação catastrófica"

Filas intermináveis para abastecer nos postos de combustíveis, transportadoras que admitem limitar os serviços, receios de tumultos, pedidos para o alargamento dos serviços mínimos e apelos "à serenidade" e para que o governo consiga uma trégua na greve dos motoristas de matérias perigosas marcaram esta quarta-feira.

O protesto está a parar o país e diversos setores de atividade manifestaram preocupação, como a indústria farmacêutica que apelou a que os serviços mínimos incluam a distribuição dos medicamentos. A situação "torna-se premente, sob pena de ser criada uma grave situação de saúde pública com falta de medicamentos nos hospitais e farmácias durante o período de greve dos motoristas de camiões de combustíveis", afirmou a APIFARMA - Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica.

O filme do dia pode ser visto aqui.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG