Uma casa ruiu e 27 pessoas saíram de suas casas. Localidades continuam isoladas

Algumas localidades da freguesia da Ponta Delgada continuam isoladas este sábado devido ao temporal que afetou a região durante o Dia de Natal.

O dia de Natal ficou marcado pelo mau tempo na ilha da Madeira, com chuvas intensas particularmente no norte da ilha que provocaram fortes estragos. Na manhã deste sábado algumas localidades da freguesia da Ponta Delgada, concelho de São Vicente (costa norte da ilha) continuam isoladas devido ao temporal no dia de Natal, decorrendo agora trabalhos de limpeza das estradas.

"As zonas isoladas são as Lombadas, na parte mais alta da freguesia da Ponta Delgada, e também a ligação entre Ponta Delgada e Boaventura, neste momento, só é possível fazer de 4x4", disse à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, José António Garcês.

O autarca está a acompanhar as operações no terreno, numa altura em que a chuva perdeu a intensidade, embora o Serviço Regional de Proteção Civil mantenha em vigor o aviso amarelo para precipitação na costa norte da Madeira até às 18:00 de hoje.

A tempestade fez com que 27 pessoas fossem retiradas das suas casas por motivos de segurança, mas as habitações não sofreram danos significativos, além de inundações.

"Logo que haja condições de segurança e que seja efetuada a limpeza, as pessoas regressam às suas casas, porque neste momento estão em casa de familiares ou amigos", disse José António Garcês, vincando que se trata de 20 moradores de Ponta Delgada e sete de Boaventura, freguesias que, juntamente com a de São Vicente, constituem o concelho nortenho.

Embora não seja ainda possível traçar um balanço final dos estragos, o autarca aponta para vários danos em infraestruturas públicas, nomeadamente na estrada de acesso às Lombadas e no cemitério de Ponta Delgada, no centro da freguesia, que ficou totalmente alagado.

"O pessoal esteve a trabalhar durante o dia de ontem [sexta-feira], a noite toda, a madrugada, e hoje de manhã já retomou os trabalhos e obviamente são trabalhos de limpeza, para depois podermos fazer a avaliação de todo o prejuízo", disse.

Segundo o DIário de Noticias da Madeira, os acessos à freguesia de Ponta Delgada e de Boaventura ficaram totalmente cortados, com habitações isoladas e havendo mesmo máquinas arrastadas pelas águas. O mesmo jornal avança, na manhã deste sábado, que a população da freguesia de Ponta Delgada está sem acesso a água potável.

Houve "estradas transformadas em ribeiras e casas inundadas", afirmou ao Diário de Notícias da Madeira Miguel Freitas, presidente da Junta da Freguesia da Ponta Delgada, que na noite de sexta-feira qualificou a situação como "catastrófica".

Já esta manhã, a capitania do Porto do Funchal prolongou o aviso de vento forte para o mar da Madeira até às 06:00 de domingo, recomendando que as embarcações permaneçam nos portos de abrigo.

"Uma tragédia", diz presidente da Junta

À Agência Lusa, Miguel Freitas, presidente da Junta de Freguesia da Ponta Delgada, falando ainda na sexta-feira, classificou de "tragédia" as consequências das chuvas que assolaram a localidade, provocando inundações, transbordo de ribeiros, danos nas estradas e residências.

"Só amanhã [sábado] vamos fazer o rescaldo desta que, para mim e como autarca, classifico de tragédia", referiu.

Nas redes sociais, vários vídeos dão noção da gravidade da situação.

O Diário de Notícias da Madeira disponibiliza mais alguns vídeos.

"As ruas praticamente ficaram intransitáveis, só agora estamos a fazer os trabalhos de limpeza, sei que há muitas casas que ficaram danificadas mas, felizmente, não tivemos perdas humanas, pelo menos, até agora não há qualquer informação nesse sentido e os danos foram apenas materiais", sublinhou.

Para Miguel Freitas, as chuvas, que tiveram o período mais crítico entre as 15:00 e as 18:00 horas, "não foram absorvidas pelos solos e os ribeiros não conseguiram dar vazão à imensa água e transbordaram para outras vias".

Estradas, moradias, cemitério e a zona da igreja foram, para o autarca, os locais mais afetados pelo temporal.

"A zona da Primeira Lombada está isolada, não é conveniente transitar, mas as pessoas estão seguras, estão bem e não há a reportar qualquer dano humano", observou.

Houve ainda notícia de que oito turistas ficaram com as viaturas presas junto à entrada do túnel que liga a Boaventura à Ponta Delgada. Segundo o DN Madeira, cada viatura trazia 4 ocupantes, uma delas com um casal alemão, acompanhado por duas crianças, e outra com cidadãos portugueses. Ambos circulavam no sentido Boaventura - Ponta Delgada.

Os turistas ainda tentaram fazer inversão de marcha, mas viram o caminho ser bloqueado por duas derrocadas de pedras provocadas pelas águas. Acabaram por sair dos automóveis e procurar abrigo no interior do túnel, onde ao fim da tarde ainda permaneciam, à espera de socorro

Estavam já máquinas no local a proceder a operações de limpeza para acesso à zona, descreve o DN Madeira.

Miguel Albuquerque, o presidente do governo regional da Madeira, fez saber que enviou para o local um reforço de meios da Protecção Civil, bem como o secretário regional das Infraestruturas, Pedro Fino.

O comandante dos bombeiros de Porto Moniz e São Vicente, em declarações ao DN Madeira, pediu às pessoas para não se dirigirem às zonas afetadas e, tanto quanto possível, se mantenham em casa até informação em contrário. Artur Fernandes garantiu ainda que estão em constante articulação com a Protecção Civil, o Governo e a autarquia da São Vicente e pediu à população que "mantenha a calma".

Queda de granizo espanta o Funchal

Também esta tarde, cerca das 16:30, uma forte queda de granizo espantou os habitantes da capital madeirense.

As pedras de gelo, de grandes dimensões, mereceram registo em vídeo, disponibilizado no YouTube pelo DN Madeira.

O arquipélago está esta sexta-feira sob aviso amarelo para precipitação, mas o diretor do Observatório de Meteorologia da Madeira, Victor Prior, adiantou à Lusa que a previsão é que durante a noite as condições comecem a melhorar.

De acordo com Victor Prior, cerca das 18:00, a Estação Meteorológica registou 161 milímetros de precipitação no Porto Moniz, 115,7 milímetros no Pico do Arieiro, 90 milímetros em Santana, 76 no Pico Alto, 40 milímetros no Funchal e 39 milímetros em Porto Moniz.

Notícia atualizada às 10:15 de sábado, 26 de dezembro

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG