Caso suspeito de coronavírus vindo de Milão é negativo

As análises laboratoriais deram negativo para o homem que estava internado no hospital de São João.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) informa esta segunda-feira que o caso suspeito de infeção por novo Coronavírus (COVID-19), o de um cidadão proveniente de Milão, que foi no domingo encaminhado para o Centro Hospitalar Universitário de São João, "resultou negativo após realização de análises laboratoriais pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), com duas amostras biológicas negativas".

O novo caso suspeito de infeção por coronavírus em Portugal foi avalidado no domingo pela DGS, após avaliação clínica e epidemiológica, e diz respeito a um cidadão que veio da cidade italiana de Milão. O caso foi acompanhado no Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto, uma das unidades de referência em Portugal para tratar o vírus da China.

O internamento do doente suspeito de infeção com coronavírus no Hospital São João, no Porto, foi decidido "apenas por precaução", disse à Lusa a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, sublinhando que a DGS está a "atenta à situação".

"Estamos a acompanhar atentamente a situação em Itália, que está circunscrita a algumas zonas, não ao país inteiro. De qualquer maneira, de facto, internámos uma pessoa para investigação, apenas por precaução", adiantou Graça Freitas.

Os conselhos da DGS a quem esteve em Itália

Reconhecendo que "muitas pessoas de Portugal estiveram em Itália nos últimos dias, nas últimas semanas, sobretudo nos últimos 14 dias, que são os dias que interessam", a diretora-geral da Saúde fez questão de "deixar uma palavra de tranquilidade a estas pessoas, mas dizer-lhes também que estejam atentas".

"Se estão assintomáticas, [devem] estar atentas ao aparecimento eventual de sintomas, sobretudo se estiveram com doentes em Itália", disse Graça Freitas.

A quem regressou recentemente de Itália, Graça Freitas aconselha "tomar aquelas precauções básicas de higiene das mãos, higiene respiratória, não tossir nem espirrar em direção a outras pessoas ou até mesmo falar, manter algum distanciamento social", mas também "não frequentar sítios fechados e com muita gente, a não socializar em termos de afetos. Muitos beijos e muitos abraços não serão o mais indicado nesta altura", disse. "Pelo menos, nos próximos dias, até nós entendermos bem o que se está a passar em Itália, nomeadamente como é que este foco se instalou, como é que a doença poderá ter iniciado", sublinhou.

Insistindo para que "as pessoas se mantenham tranquilas", a diretora-geral da Saúde sublinha que quem eventualmente tenha sintomas - que incluem febre, dores no corpo e cansaço - deverá contactar a linha SNS24 através do número 808 24 24 24.

Este é a 13.º caso suspeito em Portugal, sendo que até agora todas as outras análises se revelaram negativas. Há, no entanto, já um português infetado, a bordo do cruzeiro Diamond Princess, ancorado no porto de Yokohama, a sul de Tóquio. Adriano Maranhão, 41 anos, um canalizador da Nazaré que trabalha há cinco anos para a empresa de cruzeiros, acusou positivo para Covid-19 e permanece fechado na sua cabine à espera de ser transferido para um hospital, no Japão.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG