Bombeiros pediram água, barritas energéticas, pomadas para queimaduras

Águas pequenas, barritas energéticas, pomadas para queimaduras foram algumas das coisas pedidas para ajudar os bombeiros que combatem o incêndio em Monchique

O incêndio que na sexta-feira deflagrou na zona de Perna Negra e alastrou por grande parte de Monchique está a ser combatido por 1150 operacionais, apoiados por 342 meios terrestres e 15 aéreos provenientes de oito entidades diferentes, segundo informação atualizada pelo site da Proteção Civil às 14.08 desta terça-feira.

Os operacionais, na maioria bombeiros, estavam a precisar de alguma ajuda, segundo campanhas de recolha e outros apelos anunciados por associações algarvias de caráter variado através das redes sociais. Fruta, águas pequenas, leite, pomadas para queimaduras eram algumas das coisas pedidas pelos Bombeiros de Portimão.

Neste momento, e de acordo com uma publicação do jornal Barlavento na sua página de Facebook, já não são necessários mais produtos, uma vez que estão assegurados "os stocks necessários para fazer face às atuais necessidades", nem mais voluntários:

Havia também um apelo a todas as pessoas que queiram voluntariar-se para ajudar a confecionar refeições a serem transportadas para o terreno para os operacionais. A cozinha provisória foi instalada na Escola Básica Júdice Fialho, em Portimão, com o objetivo de preparar 7200 refeições diárias, entre refeições principais e reforços. O Portimão Arena está a servir de porto de abrigo para as pessoas que estão a ser evacuadas das suas habitações desde o dia 5 de agosto.

A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de São Brás de Alportel, igualmente através do Facebook, apelou igualmente às pessoas que queiram doar águas pequenas e barras energéticas para que o façam através da proteção civil e bombeiros, evitando ações ou deslocações individuais que possam criar perigo para as mesmas ou constrangimentos à movimentação no terreno aos veículos dos operacionais que combatem as chamas.

São Brás de Alportel foi um dos concelhos do Sotavento algarvio que, em 2012, foram afetados pelos incêndios. O outro foi o de Tavira. Foi, até à altura, um dos maiores incêndios em Portugal, tendo durado entre 18 e 22 de julho desse ano.

O fogo de 2012, que também desalojou populações, consumiu 21 mil hectares. O que ainda lavra atualmente na zona de Monchique já destruiu entre 15 mil e 20 mil hectares segundo balanço feito pela Proteção Civil.

Notícia atualizada às 20:00 com a informação de que os stocks estão assegurados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG