Autarca de Pedrógão pede para sair do fundo de reconstrução

Valdemar Alves pediu para sair do Conselho de Gestão do Fundo Revita, na sequência das denúncias de irregularidades na reconstrução das casas destruídas no incêndio

O presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, anunciou esta quarta-feira que pediu ao presidente do Fundo Revita para abandonar o organismo. No comunicado que enviou às redações refere ainda que pediu a substituição do representante do município na Comissão Técnica do Revita.

Numa declaração sem direito a questões adicionais, de forma a cumprir o segredo de justiça decretado no caso que investiga alegadas infrações na reconstrução das casas destruídas pelo incêndio do junho do ano passado.

Considerando que "as últimas semanas têm sido férteis em especulações, mentiras e manipulações visando desacreditar todo o trabalho desenvolvido no âmbito do Fundo REVITA", Valdemar Alves anuncia que pediu ao presidente do fundo, Rui Fiolhais, a sua saída do fundo e consequentemente do cargo de Coordenação da Comissão Técnica do Revita. Também solicitou a mudança do representante do representando do município que passa a ser Álvaro Lopes.

Valdemar Alves mantêm que acredita na correção de todos os procedimentos técnicos e na seriedade dos proprietários. Recorde-se que surgiram várias denúncias de reconstruções fraudulentas de casas destruídas pelo incêndio e que foram indicadas como sendo de primeira habitação, não o sendo, e que por isso tiveram financiamento.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.