Chuva forte até sábado. Depois regressa o frio e o sol

Distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto e Vila Real serão os mais atingidos entre o meio-dia e as 18.00 horas de quinta-feira.

A Proteção Civil emitiu um aviso à população em que dá conta das previsões de um agravamento das condições meteorológicas, "com especial incidência para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto e Vila Real no período entre as 12.00 e as 18.00 horas" de quinta-feira.

Em declarações à Lusa, a meteorologista Maria João Frada, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), adiantou que até sábado está prevista a passagem de sucessivas ondulações frontais que vão trazer chuva forte. "Hoje [quinta-feira] de manhã temos já períodos de chuva em geral fraca e a partir da manhã prevê-se um aumento da intensidade e frequência da precipitação, especialmente no norte e cento, acompanhada de vento forte com rajadas nas terras altas até 100 quilómetros por hora", disse.

O mau tempo irá ainda afetar o caudal dos rios e as áreas vulneráveis a inundações. "Prevê-se que os acumulados de precipitação nas bacias hidrográficas da região Norte (em particular Lima, Cávado e margem Norte do Douro) possam atingir valores acumulados elevados nas próximas 24 horas, importando manter a vigilância para antecipar o aumento da cota dos cursos de água", aponta a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, para quem "deverá ser dada especial atenção às zonas historicamente identificadas como vulneráveis a inundações e em particular em bacias hidrográficas não regularizadas e de escoamento rápido".

Os efeitos das condições meteorológicas são também elencados. Pode haver "piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água", com "possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem".

A "possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis e inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem" é também admitida como consequência, tal como "danos em estruturas montadas ou suspensas, dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis, possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte e possíveis acidentes na orla costeira".

Em declarações à Lusa, a meteorologista Maria João Frada indicou que para o final desta quinta-feira está também prevista chuva, mas em geral fraca no Algarve e baixo Alentejo. "Por causa do mau tempo, o IPMA emitiu aviso laranja para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto e Aveiro devido à agitação marítima, prevendo-se ondas de sudoeste com 5 a 5,5 metros, podendo atingir 9 metros de altura máxima", disse.

Este aviso laranja vai estar em vigor entre as 12:00 e as 18:00 desta quinta-feira. Os distritos de Coimbra, Leiria e Lisboa estão sob aviso amarelo por causa da agitação marítima, prevendo-se ondas de oeste/sudoeste com 4 a 5 metros até às 21.00 desta quinta-feira.

De acordo com Maria João Frada, "para sexta-feira prevê-se uma diminuição considerável da intensidade do vento. Teremos neblinas e nevoeiros matinais e uma descida significativa das temperaturas mínimas, que vão rondar os 3 a 6 graus no norte e centro".

"No sábado voltamos a ter uma aproximação de ondulação frontal com a vinda de chuva. Vai ser um dia com muita chuva e vento em todo o território. Esta chuva pode ser temporariamente intensa, acompanhado por vento forte, em especial no litoral e nas terras altas e queda de neve de madrugada em quotas acima dos 700/900 metros", acrescentou.

Para domingo, indicou Maria João Frada, está prevista uma melhoria com o regresso do tempo seco, mas também do frio com a descida acentuada das temperaturas e vento, que vão fazer aumentar o desconforto térmico.

De acordo com o IPMA, as temperaturas mínimas vão descer em Portugal continental na ordem dos 7 graus Celsius. "No domingo, as temperaturas mínimas vão rondar os -2 e 1 no nordeste transmontano e Beira Alta, entre 4 e 6 graus no resto do território, com exceção do Algarve que será entre os 5 e os 8 graus. Na segunda-feira, as temperaturas mínimas voltam a descer 2 graus nas regiões do norte e centro", disse.

Conselhos a seguir

Para minimizar os impactos, a Proteção Civil deixa conselhos que passam por garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas; adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a formação de lençóis de água nas vias e não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas".

Outras medidas são "garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas e ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte."

"Especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a circulação e permanência nestes locais", é também aconselhado bem como "não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG