Dicas (a maioria delas óbvias) de quem trabalha há nove anos de casa

Em nove anos a morar no Brasil, como correspondente de órgãos da comunicação social portuguesa como o Diário de Notícias (e a TSF, o Dinheiro Vivo e A Bola, entre outros), tive de aprender a morar num país muito maior mas num ambiente muito menor: a minha casa.

Exceção feita às reportagens no exterior, o meu dia-a-dia rotineiro é de frente para o computador, sozinho. Sozinho não: sou eu, as (mil e uma) notícias de um país continental e sempre em efervescência e os meus editores do outro lado do ecrã.

Mesmo assim, uma realidade confinada muito diferente do ambiente barulhento e caótico das redações em que trabalhei nos outros 15 de carreira jornalística.

Ao longo do tempo, aprendi algumas dicas - que me pareciam inúteis, mas por força dessa tal pandemia, podem ser relevantes agora que o home office passou de opção a necessidade absoluta ou a questão de vida ou de morte.

Não são nenhum ovo de Colombo, nem adaptáveis a todas as profissões. Mas são genéricas o suficiente, ainda assim, para poder ajudar. E não se esqueça: trabalhar de casa tem desvantagens mas também muitas vantagens.

Eis oito dicas (a maioria delas óbvias) de quem trabalha há nove anos de casa:

1. Comece o dia com um banho, não se deixe levar pelo "ah, daqui a bocado tomo, afinal o duche está aqui ao lado".

2. Em complemento ao ponto um, evite manter-se de pijama ou afins - mesmo podendo dispensar gravatas e outros adereços, claro, vista-se pelo menos como se fosse sair e não com roupa de trazer por casa.

3. Estabeleça horários e compromissos, como se estivesse em dia de trabalho.

4. Tente, na medida dos possíveis, explicar aos filhos, dependendo das idades, que está a trabalhar.

5. Cuidado com as duas maiores tentações: o frigorífico (geladeira no Brasil) e a televisão.

6. Contabilize o tempo que antes passava nos transportes públicos ou nos carros próprios a ir e vir do emprego e aproveite-o para ler mais, para fazer coisas para que antes não tinha tempo e para cumprir, com dois meses e tal de atraso, aquelas tais resoluções de ano novo.

7. Não desespere se ficar uns tempos sem ver familiares e amigos - 90% das pessoas que eu conheço mora a milhares de km de distância desde há nove anos e ainda assim, graças às tão criticadas redes sociais, interajo com elas quase todos os dias.

8. Mantenha o hábito - ou ganhe-o - de fazer exercício físico mesmo num espaço restrito. Se gosta de ir ao ginásio (à academia no Brasil) antes de começar o dia de trabalho, ótimo. Mas depois siga o ponto 1, o ponto 2 e por aí adiante.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG