Game over!

É o problema das férias (ou será vantagem?): ficamos sem nada. Vazios de pensamento. Vazios de ideias para o dia a dia. Vazios de tudo.

É a altura de fazer um game over às preocupações das nossas vidas, com dias cheios de coisa nenhuma. Cheios de cogitações vazias. Cheios de nada.

Vemos os filmes que já vimos, gravamos os vídeos que são as reproduções do ano anterior, repetimos os jogos que já jogámos.

Enchemos os carros como se de um jogo de Tetris (1984) se tratasse e lá vamos a caminho. Os adultos com a vontade de perpetuar o vazio, as crianças na ânsia de ter uma aventura no meio do Alto Alentejo. A minha filha, ainda no carro, entre malas e sacos, já vai a explorar os mapas do local muito ao estilo Lara Croft (1996), com a expectativa de fazer uma ou outra expedição pelos trilhos e pelas praias fluviais da região.

Chegados ao local, lá desmanchamos o puzzle das malas e corremos para a água. Mergulhamos e começam as tricas entre os miúdos. Quando um invade o espaço do outro, mais parecem aliens a entrar em contexto inóspito, sobre os quais se disparam sons metálicos na tentativa de proteger o seu território destes dois Space Invaders (1978).

É altura de arrancar um deles de dentro de água.

Sem consolas e sem telemóveis, lá improvisamos um campo com caricas ao lado da piscina, amarramos lenços na cabeça e vestimos uma T-shirt colorida como se estivéssemos nas bancadas de um videojogo. Eu que sou antigo, só consigo fintar ao estilo Sensible Soccer (1992), e não consigo, nem nas caricas, ganhar ao meu filho.

Os dias passam. Devagar.

Na praia fluvial, lá alugamos um bote a pedais para subir o rio e os miúdos mergulham e fazem umas corridas nas águas escuras do Tejo. Nas margens, cobertas de vegetação e plantas estranhas, vemos uns brilhos como se de pequenos objetos de um tesouro perdido se tratasse.

- Avança Capitão Marujo! Para o meio do bosque! - diz o meu filho.

- Ó pai, e se as plantas forem carnívoras? - pergunta a minha filha a medo.

- Calma filhota, se forem, vestimos a nossa roupa de Super Mario (1985) e acabamos com elas!

E as férias correm, ao sabor de jogos e jogatanas na esperança de que estes dias nos garantam o tão esperado reset e que os níveis de energia subam para depois então... atacarmos setembro!

Designer e Diretor do IADE - Faculdade de Design, Tecnologia e Comunicação da Universidade Europeia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG