Corações ao alto e calculadora na mão

Assinala-se o solstício de verão e o país aguarda que São Pedro se lembre que é tempo de calor. O ano foi difícil e os portugueses precisam de relaxar, sendo a praia uma boa e segura opção para o fazer.

Enquanto o santo não interfere no clima, a alternativa é virarmo-nos para os deuses da Bola e esperar que esses não falhem. Mais uma vez a sorte ditou que tudo se decidisse perante os já quase "rivais": Les Bleus. Trata-se de um duelo de gigantes: Campeão da Europa Vs Campeão do Mundo.

Portugal é Campeão Europeu de Futebol em título. Assim, os adereços mais importantes no momento são a calculadora, o terço e o cachecol. Independentemente dos resultados, continuamos a deixar marcas. S. Ronaldo continua a bater recordes e a conseguir dobrar todas as Tormentas, espalhando Boas-Esperanças.

Um dado relevante e que não passou despercebido é o facto do Europeu de 2020 se disputar em 2021. As razões conhecem-se sobejamente bem, mas desta situação resulta um facto inalienável: Portugal é Campeão da Europa por 5 anos. Feito? Coincidência? Constatação.

A execução do Campeonato Europeu de Futebol acontece, sobretudo, de acordo com dois modelos: organização por um país ou conjuntamente entre dois países Europeus. Exemplos disso mesmo passam pelo "querido" Euro 2004, organizado por Portugal, ou o caso do Euro 2012, em que a Polónia e Ucrânia assumiram o comando.

A preparação conjunta também acontece ao nível dos Campeonatos do Mundo. Recorde-se a já anunciada candidatura de Portugal e Espanha para a organização do Mundial de 2030.

O Euro 2020 é o primeiro que assume uma verdadeira natureza europeia. À semelhança das ligas nacionais e liga dos campeões, este Campeonato Europeu joga-se em 11 cidades espalhadas pelo velho Continente. Amesterdão, Baku, Bucareste, Budapeste, Copenhaga, Glasgow, Londres, Munique, Roma, São Petersburgo e Sevilha serão o palco gigante do mais europeu dos Europeus.

Este pluralismo é um importantíssimo sinal de integração europeia. E para Portugal, campeão em título, é algo duplamente especial pois a nossa seleção já entrou em campo duas vezes, em dois países diferentes, debaixo de circunstâncias absolutamente diversas.

Se em Budapeste pareceu não haver sinal do vírus que adiou o Euro 2020 para o ano seguinte, já em Munique testemunharam-se vários milhares de pessoas nas bancadas, mas com o espaçamento devido. Esse foi o bom exemplo a seguir para a nova época de futebol, na qual se espera o regresso de algum público aos estádios. O distanciamento é para manter.

Apesar do desaire de sábado, nada está decidido quanto à nossa caminhada no Euro. Quarta-feira será um dia crucial, onde a "Europa" medirá forças com o "Mundo". Uns já terão a calculadora e o credo junto ao cachecol, enquanto outros se enchem de confiança e sonham com a renovação do título. Prognósticos? Só no fim do jogo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG