Se discordar, não comece logo aos gritos

Onde há pessoas há interesses diferentes e onde há interesses diferentes há divergências e incompatibilidades. Os conflitos são naturais mas, se forem bem geridos, é possível tentar agradar a toda a gente ou até criar soluções inovadoras. O truque? Saber quando usar a razão ou a emoção. Ou ambos.

Podem acontecer em casa, por razões tão prosaicas como a divisão de tarefas domésticas ou mais substanciais como a educação dos filhos. Ou no trabalho, por questões tão insignificantes como a temperatura do ar condicionado ou motivos significativos como uma promoção. Ou no mundo dos negócios. Ou da alta finança. No extremo, opiniões diferentes sobre a divisão de um território que podem até resultar em guerras.

Os conflitos estão por todo o lado, porque cada um tem a sua própria agenda de interesses, preferências, opiniões, crenças ou objetivos - umas vezes assumidos, outras nem tanto. E quando os desígnios de uns são incompatíveis com os dos outros, começam os problemas. São várias as definições propostas para «conflito».

Continue a ler este artigo na Notícias Magazine.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG