Violador e homicida de menina de sete anos condenado a 51 anos de prisão na Colômbia

A pena máxima na Colômbia, pedida pelo Ministério Público para este caso, é de 60 anos de prisão

Um arquiteto colombiano foi condenado na quarta-feira a 51 anos de prisão pela violação e morte de uma menina de sete anos, raptada num bairro pobre de Bogotá, um caso que causou comoção no país.

Rafael Uribe Noguera, de 38 anos, foi condenado a "622 meses de prisão", o equivalente a 51 anos e dez meses atrás das grades, e ao pagamento de uma indemnização de 25.000 dólares (23.249 euros).

O corpo da menina, Yuliana Samboni, foi encontrado no apartamento de luxo do indivíduo, que a raptou em dezembro.

Uribe Noguera admitiu os factos em tribunal em janeiro, tendo declarado que "agiu de forma inconsciente" devido ao consumo de drogas e álcool.

Após o homicídio, o indivíduo foi internado numa clínica de desintoxicação pela família.

A onda de choque causada por este caso chegou ao mais alto nível, com o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, a pedir, através da conta da rede de mensagens instantâneas Twitter, que "todo o peso da justiça caia sobre o responsável" desta morte.

A pena máxima na Colômbia, pedida pelo Ministério Público para este caso, é de 60 anos de prisão.

O Ministério Público e os pais da menina vão recorrer da sentença.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG