Vídeo de polícia a matar jovem negro reacende protestos

Centenas de pessoas saíram às ruas e pediram justiça por Laquan McDonald, o jovem baleado 16 vezes pela polícia norte-americana

Centenas de pessoas saíram, esta terça-feira, para as ruas de Chicago (EUA) em protesto após ter sido divulgado um vídeo da morte de um jovem negro, ocorrida há mais de um ano, por um polícia branco que disparou 16 vezes.

Vários manifestantes gritaram "16 tiros", em referência ao número de balas que atingiram Laquan McDonald, de 17 anos, e outros repreendiam os agentes antimotim, segundo imagens televisivas.

As autoridades judiciais de Chicago anunciaram, esta terça-feira, que vão acusar o veterano polícia branco Jason Van Dyke, presumível autor dos disparos contra o jovem, de homicídio.

Van Dyke, de 37 anos, entregou-se às autoridades e deve ser presente a tribunal, que vai decidir se lhe concede liberdade condicional.

McDonald foi morto a 20 de outubro de 2014, após um encontro com o agente Van Dyke, da polícia deChicago, e que assegurou na altura que o jovem estava armado com uma faca.

No vídeo, divulgado ao final do dia de terça-feira, vê-se McDonald a correr, aparentemente, a afastar-se de um grupo de agentes, quando foi atingido pela primeira vez. Depois, aparece estendido no chão, onde aparentemente é baleado por diversas vezes, e um agente não identificado aproxima-se e chuta uma pequena faca que McDonald segurava na mão.

A polícia argumenta que Van Dyke disparou por temer pela sua vida e acrescenta que McDonald se comportou de forma errada e que não atendeu as ordens dos agentes para que largasse a faca. A autópsia revelou indícios de que McDonald pode ter consumido drogas.

Antes da difusão do vídeo, e antecipando eventuais protestos, o presidente da câmara de Chicago, Rahm Emanuel, e o superintendente da polícia, Garry McCarthy, apelaram à calma durante uma conferência de imprensa.

Este é o primeiro caso em 35 anos na cidade de Chicago em que um polícia é acusado de homicídio em primeiro grau devido a um incidente ocorrido quando estava em serviço, segundo a imprensa local. Em 2015, 1027 pessoas morreram pelas mãos ou sob custódia da polícia nos Estados Unidos da América, segundo o jornal The Guardian . Em Illinois, estado onde se localiza a cidade de Chicago, morreram 20.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG