Vice de Sánchez internada. Coronavírus deixa políticos espanhóis de quarentena

Carmen Calvo, vice-presidente do governo, foi hospitalizada com infeção respiratória e já fez o teste ao covid-19. Governo espanhol tem duas ministras infetadas e políticos de todos os quadrantes políticos isolados e a trabalhar de casa.

A vice-presidente do governo espanhol, Carmen Calvo, foi internada por causa de uma infeção respiratória num hospital em Madrid e está à espera do resultado do teste ao novo coronavírus. O covid-19, que atinge mais de 33 mil pessoas e já matou 2182 pessoas só em Espanha, não está a poupar os políticos do país vizinho. Duas ministras, dois presidentes autonómicos, vários deputados e senadores já deram positivo ao covid-19, que não distingue entre esquerda e direita.

A ministra da Igualdade espanhola, Irene Montero, foi a primeira do Conselho de Ministros a testar positivo. Segundo o El País, anda de máscara em casa para não infetar o companheiro, o vice-presidente do governo e ministro dos Direitos Sociais, Pablo Iglesias, assim como os três filhos do casal. O líder da aliança Unidas Podemos, que não está infetado, já interrompeu a quarentena em duas ocasiões -- para um Conselho de Ministros e para uma conferência de imprensa.

A outra ministra que tem coronavírus é a socialista Carolina Darias, que tem a pasta da Política Territorial. Como Montero está a recuperar em casa e continua a desempenhar a sua função graças ao teletrabalho.

Não se sabe em que momento as duas ministras terão sido infetadas, mas ambas participaram na marcha manifestação do Dia da Mulher, 8 de março, na qual estiveram lado a lado com Begoña Gómez, a mulher do primeiro-ministro Pedro Sánchez, que também deu positivo para o coronavírus. A oposição já criticou que a marcha não tenha sido suspensa, uma vez que os primeiros casos e os primeiros mortos já tinham sido registados no país. Na marcha de Madrid estiveram 120 mil pessoas.

A região de Madrid é a mais atingida e a presidente da Comunidade de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, não é exceção. Está num hotel, sozinha e isolada, mas continua a trabalhar, tal como duas das suas "ministras" regionais. Também o presidente da Generalitat, Quim Torra, deu positivo ao teste que fez após se descobrir que o vice-presidente do governo catalão, Père Aragonés, também estava infetado. Torra continua a trabalhar desde o palácio da Generalitat.

No Congresso dos Deputados o primeiro a dar positivo foi o secretário-geral do Vox, Javier Ortega Smith, que terá infetado vários companheiros do partido no congresso que este realizou em Vistalegre. O líder do Vox, Santiago Abascal, também foi infetado, mas já está entretanto curado. A deputada Macarena Olona também tem coronavírus.

A vice-presidente do Congresso, Ana Pastor, do PP também já deu positivo no coronavíus, assim como o deputado do Galiza En Común, Antón Gómez Reino. O porta-voz do Ciudadanos no Congresso, Edmundo Bal, é outro dos atingidos pelo covid-19.

O coronavírus também não poupou políticos já afastados: é o caso de Javier Solana, ex-secretário-geral da NATO, antigo alto-representante da Política Externa da União Europeia e ex-porta-voz do governo de Felipe González. Aos 77 anos, está há dez dias internado num hospital de Madrid. "Espero estar a superar. É um vírus muito teimoso", disse ao El País, depois de já ter passado pela Unidade de Cuidados Intensivos.

Quem também está internada é a ex-presidente do governo de Madrid, Esperanza Aguirre, de 68 anos. Este domingo correram nas redes sociais notícias de que teria morrido, mas a informação foi negada.

Carmen Calvo, de 62 anos, foi internada no domingo por causa de uma infeção respiratória e repetir o teste ao coronavírus. A vice-primeira-ministra e ministra da Presidência já tinha feito o teste ao coronavírus na semana passada, depois de outras ministras terem dado positivo, e na altura deu negativo. O resultado do novo teste será tornado público, informou o governo espanhol.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG