Urso polar faminto anda centenas de quilómetros à procura de comida

Fraca e aparentemente doente, animal esteve horas deitado no chão e só se levantava para procurar comida.

Um urso polar fêmea exausta e faminta surgiu esta terça-feira na cidade industrial russa de Norilsk (norte da Sibéria) a centenas de quilómetros do seu habitat natural no Ártico. Visivelmente fraca e aparentemente doente, a fêmea esteve deitada no chão durante várias horas nos subúrbios de Norilsk, com os pés cobertos de lama, erguendo-se ocasionalmente para procurar comida.

Este foi o primeiro urso polar a ser avistado na cidade em mais de 40 anos, segundo elementos de grupos ambientalistas locais. "Ela está a mover-se em redor de uma fábrica sempre sob a atenção da polícia e de elementos dos serviços de emergência. Ambos estão a garantir a sua segurança e a dos moradores", contou à agência francesa AFP Alexander Korobkin, funcionário de serviços ambientais.

O urso foi visto pela primeira vez no domingo à noite em uma área industrial a nordeste do centro de Norilsk, disse Korobkin. Oleg Krashevsky, um especialista local em vida selvagem que filmou o urso polar, não sabe explicar o que levou o animal a entrar na cidade, embora seja possível que se tenha perdido. Segundo contou, o animal tinha os olhos lacrimejantes e claramente não via bem.

As alterações climáticas têm reduzido os habitats dos ursos polares forçando-os a procurar alimentos em terra o que os coloca em contacto com áreas habitadas. Por exemplo, no início deste ano uma região remota do norte da Rússia foi colocada em alerta quando dezenas de ursos polares famintos foram apanhados a procurar comida na rua e a entrar em prédio.

No caso de Norilsk as autoridades locais - que têm tido como missão principal evitar que as pessoas cheguem perto demais do animal - esperam que cheguem esta quarta-feira à cidade especialistas em vida selvagem para avaliar a condição em que se encontra esta fêmea de urso e o que é possível fazer para a orientar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG