11 feridos no atropelamento em Londres. Polícia descarta terrorismo

Automóvel abalroou peões junto ao Museu de História Natural. Condutor detido. Incidente não está a ser tratado, para já, como ataque terrorista

Um homem foi detido este sábado depois de ser reportado um "incidente" com um automóvel junto ao Museu de História Natural, em Londres. A imprensa britânica avança, citando testemunhas no local, que que se tratou de um atropelamento e que um carro galgou o passeio para abalroar os transeuntes. O veículo conduzido pelo suspeito entretanto detido terá atingido as pessoas que se dirigiam para o edifício do museu, um dos mais visitados de Londres.

Os serviços de emergência londrinos informaram ao final da tarde de sábado que ficaram feridas 11 pessoas, sendo que nove tiveram de ser transportadas ao hospital. A maior parte das vítimas tem ferimentos nas pernas e na cabeça. A polícia metropolitana de Londres indicou ainda que se tratou de um acidente de tráfego e que não está a ser tratado como um atentado terrorista.

Horas antes, a Scotland Yard referia apenas que "vários peões" tinham sido feridos num incidente em Exhibition Road, Kensington, pouco depois das 14:20 deste sábado. A agência Reuters acrescentava que, segundo as autoridades, se tratara de uma "colisão" e que as circunstâncias do acidente estão sob investigação.

Uma repórter da BBC no local revela que foi informada pela polícia de que os ferimentos das vítimas seriam ligeiros.

Uma testemunha, Lesley Carter, disse ao Guardian que o suspeito foi agarrado por populares, que o detiveram antes de a polícia chegar. "Vi o homem ser preso por cerca de seis pessoas. Um homem estava a tentar travá-lo com a filha de quatro ou cinco anos ao colo". Outra testemunha disse à Sky News que o condutor foi mesmo retirado do automóvel antes que pudesse fugir.

A área foi depois evacuada pelas autoridades e os transeuntes foram aconselhados a entrar nos museus mais próximos, nomeadamente no Museu da Ciência.

Um porta-voz do Museu de História Natural disse à agência Reuters que houve um "grave incidente" no exterior e que os responsáveis estão a trabalhar com a polícia. O museu deixou de receber visitantes e os que lá se encontravam foram conduzidos para a saída por um acesso secundário.

O Reino Unido está em nível de alerta "severo", o segundo mais grave, no que diz respeito a ameaças terroristas. No passado mês de março, um homem conduziu um veículo contra peões em Londres, na ponte de Westminster, matando quatro pessoas antes de esfaquear um agente da polícia até à morte junto ao parlamento britânico.

Já no mês de junho, três militantes islamitas aceleraram contra a multidão na London Bridge antes de esfaquear pessoas que estavam em bares e restaurantes nas imediações, fazendo oito vítimas mortais. No mesmo mês, uma carrinha foi contra os fiéis que se encontravam numa mesquita no norte de Londres, matando uma pessoa.

O Museu de História Natural é o quarto mais popular entre os turistas no Reino Unido, com 4,6 milhões de visitas em 2016, segundo o organismo que contabiliza os visitantes das atrações turísticas britânicas.

Em comunicado, Downing Street precisou que a primeira-ministra britânica Theresa May foi informada sobre esta ocorrência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG