Míssil norte-coreano é "nova provocação escandalosa", diz União Europeia

Chefe da diplomacia da União Europeia expressou solidariedade em relação ao Japão e à Coreia do Sul

A chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, considerou hoje que o último disparo de um míssil pela Coreia do Norte é uma "nova provocação escandalosa", adiantando que será acelerada a aprovação de mais sanções europeias.

A Coreia do Norte lançou um novo míssil ao início da manhã de hoje (23:00 de quinta-feira em Lisboa), que sobrevoou o Japão antes de cair no oceano Pacífico.

"A segurança dos vizinhos da Coreia do Norte, da região e da comunidade internacional no seu conjunto está ameaçada", declarou Mogherini num comunicado.

A Alta Representante da UE para a Política Externa expressou solidariedade em relação ao Japão e à Coreia do Sul e exigiu que Pyongyang "abandone os seus programas de armas nucleares e de mísseis balísticos", proibidos por várias resoluções das Nações Unidas.

O míssil foi lançado menos de uma semana depois do Conselho de Segurança da ONU ter aprovado uma oitava série de sanções contra a Coreia do Norte, em resposta ao sexto ensaio nuclear norte-coreano no início de setembro.

Mogherini precisou que a UE já atualizou a sua "lista negra" (de pessoas e entidades alvo de sanções) de acordo com a resolução da ONU de segunda-feira, adiantando que a União prepara sanções autónomas adicionais contra a Coreia do Norte e vai acelerar o trabalho devido a este último disparo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG