Trump vai nomear Patrick Shanahan para secretário da Defesa

Shanahan já tinha sido escolhido pelo presidente dos EUA para secretário de Defesa interino antecipando a saída de Jim Mattis, que demitiu-se do cargo por estar contra a retirada dos Estados Unidos da Síria

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai nomear Patrick Shanahan para secretário de Defesa, anunciou esta quinta-feira, através das redes sociais, Sarah Huckabee Sanders, porta-voz da Casa Branca.

Shanahan já tinha sido escolhido por Trump para assumir a função interinamente depois da demissão de Jim Mattis, que decidiu demitir-se do cargo como forma de protesto por não concordar com a retirada dos militares norte-americanos da Síria.

Tinha sido anunciado que Mattis deixaria a secretaria de Defesa em fevereiro, mas o presidente dos EUA antecipou a sua saída ao nomear em dezembro Patrick Shanahan, que iniciou funções a 1 de janeiro.

"Com base no seu excelente serviço ao país e sua capacidade que já demonstrou em liderar, o presidente Trump pretende nomear Patrick M. Shanahan para ser o secretário de Defesa", disse Sanders em um comunicado, divulgado no Twitter.

Após o anúncio, Shanahan divulgou um comunicado, também divulgado nas redes sociais, em que afirma estar "honrado" por ser escolhido como chefe permanente do Pentágono.

O secretário da Defesa interino afirmou que se for confirmado pelo Senado - onde os republicanos detém a maioria - vai continuar a "implementação agressiva" da estratégia nacional de defesa norte-americana. "Continuo comprometido com a modernização das forças armadas, para que nossos notáveis ​​soldados, marinheiros, aviadores e fuzileiros navais tenham tudo o que precisam para manter nosso exército letal e nosso país seguros", garantiu.

Shanahan foi alvo de uma investigação por parte do inspetor-geral do Pentágono por alegado favorecimento à Boeing - gigante da aviação onde foi um dos executivos - quando exercia o cargo de subsecretário de Defesa, mas foi, entretanto, ilibado das acusações.

Exclusivos

Premium

Contramão na autoestrada

Concessionárias querem mais formação para condutores idosos

Os episódios de condução em sentido contrário nas autoestradas são uma realidade recorrente e preocupante. A maioria envolve pessoas idosas. O tema é sensível. Soluções mais radicais, como uma idade para deixar de conduzir, avaliação médica em centros específicos, não são consensuais. As concessionárias das autoestradas defendem "mais formação" para os condutores acima dos 70 anos.