Trump quer anular medidas de Obama para proteger o ambiente

O candidato à presidência acredita que o aquecimento global é um mito e afirma que, se ganhar, os Estados Unidos não vão reduzir as emissões de gases com efeitos de estufa

Donald Trump prometeu esta quinta-feira que, caso ganhe as eleições presidenciais nos Estados Unidos, vai anular algumas das principais decisões tomadas por Barack Obama em relação ao ambiente. O pré-candidato republicano admitiu que os Estados Unidos poderão retirar-se do acordo climático global organizados pelas Nações Unidas e recusar-se a reduzir as emissões poluentes e a proteger os cursos de água da poluição industrial.

Para Trump, que diz que o aquecimento global é um mito, anular estas decisões e acordos, como o da Cimeira do Clima em Paris, vai permitir reavivar as indústrias de petróleo e de carvão dos Estados Unidos e reforçar a segurança nacional.

"Qualquer regulação que esteja desatualizada, ou seja desnecessária, má para os trabalhadores ou contrária ao interesse nacional vai ser riscada completamente", afirmou Donald Trump na conferência Williston Basin Petroleum, no estado de Dakota do Norte.

É a primeira vez que Trump expõe as suas propostas quanto à energia e ao clima, após ter dado a entender no início do mês que pretendia renegociar o acordo afirmado em dezembro na Cimeira do Clima.

O empresário assume agora totalmente que quer "cancelar" o acordo em que 195 países se comprometeram a diminuir as emissões de gases com efeitos de estufa para amenizar o aumento da temperatura global.

Numa plateia cheia de empresários ligados à exploração do petróleo no Dakota do Norte, conhecido como o estado capital do petróleo, a mensagem de Donald Trump foi recebida com fortes aplausos, segundo a Reuters.

Hillary Clinton e Bernie Sanders têm defendido o afastamento do uso de combustíveis fósseis e promovido o uso de energias renováveis para combater as alterações climáticas. No seu discurso, Trump criticou os adversários, dizendo que as suas medidas iam destruir postos de emprego e obrigar a América a "implorar por petróleo outra vez" aos países do Médio Oriente.

Donald Trump diz também que vai aprovar a construção do oleoduto Keystone XL, um projeto da empresa canadiana TransCanada que foi recusado por Obama por prejudicar o ambiente. "Eu quero que ele seja construído, e uma parte dos lucros", afirmou o empresário, "É assim que vamos tornar o nosso país rico outra vez".

O porta-voz da empresa TransCanada, James Millar, garantiu que, se o oleoduto for construído vai gerar emprego e milhões de dólares em impostos.

Na Cimeira do Clima foi estabelecido que os países desenvolvidos deveriam "estar na linha da frente e estabelecer objetivos de redução das emissões". Os Estados Unidos da América estão entre os países que mais emissões de gases com efeitos de estufa enviam todos os anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG